Jabor

O QUE NÃO USAR   

por ARNALDO JABOR
> ALGUMAS COISA QUE AS MULHERES DEVEM SABER QUE SÃO TRISTES DE USAR :

Com isso, e pela importância que dou ao sexo feminino, decidi fazer uma  pequena listinha de coisas que simplesmente algumas mulheres deveriam  repensar antes de usar (caso uma mera opinião masculina importe).
É triste mulher:

1) Usar esmalte com uma florzinha (ou estrelinha) em uma das unhas combinado com a outra mão

    (no pé já é caso de internação).
2) Salto de acrílico (a não ser que vá fazer um filme pornô ou agradar o namorado fetichista).
3) Lente de contato colorida. Essa é uma das tenebrosas campeãs. Além  de dar uma enorme vontade

       de lacrimejar de aflição (para quem está de frente com o ser), parece que estamos diante de uma

       personagem do próximo filme do X-Men.
   4) Meia-calça cor da pele, tipo Kendall para o inverno (a não ser que tenha mais de setenta anos ou

       use debaixo da calça em caso de frio extremo). Em hipótese nenhuma deve ser usada com saia e

       sandália aberta.
   5) Calça justa demais, que aperte as partes íntimas (fica parecendo uma pata de camelo).
   6) Descolorir os (muitos) pelos da barriga, o famoso ‘caminho da felicidade’. Melhor depilar, caso contrário,

       é melhor procurar um namorado que tenha colocado blondor no bigodinho. Farão um lindo par.
   7) Unha do pé grande, maior do que onde termina o dedo, além de ficar muito feio pode ser um perigo

       fazendo ‘carinho’ com o pé, no marido ou namorado.  Se estiver solteira, vá à praia de meia.
   8) Calça jeans com muitas aplicações (rosas coloridas, tachas, strass, etc.). Tudo em exagero polui

       o visual e esse tipo de calça tem muita informação. Usada junto com o item 2 é uma das piores

       composições. Se pretende sacanear algum namorado (ou ex), chame-o para jantar ou dançar, e vá
       assim.
    9) Perfume Paris, do Yves Saint Laurent. Se não estiver na terceira idade não tem desculpa.

       As pessoas ao redor não merecem isso e nem todo mundo carrega Neosaldina na bolsa.

       Usar no verão então, é sadismo.
  10) Calça legging com tamanco de madeira. Se você não estiver numa refilmagem de ‘Grease nos

        tempos da brilhantina’, use outra maneira de chamar a atenção. Há outras (e muito melhores)

        maneiras de um cara te achar gostosa.
> O que os homens nunca deveriam usar – ou ter usado
   Na coluna passada brinquei, com o meu ponto de vista, sobre o que as mulheres não deveriam usar –

   pois era sofrível. Foram dezenas de e-mails concordando, mas pedindo para o colunista fazer a mesmíssima coluna,

   porém sobre os equívocos masculinos. Já tinha isso em mente e aí vai a minha lista para meus queridos leitores.
   Acho abominável que um homem envergonhe (no sentido estético) a classe masculina usando:
   1) O trio mais famoso do que o do McDonalds: pochete, bermuda jeans e sandália papete.

       Se vier acompanhado do celular (na capinha) na cintura então. É caso para fingir que não conhece.
   2) Blazer com gola rolê por dentro. É o figurino preferido de 10 em cada 10 novos cabeleireiros recém

       bem-sucedidos na cidade. Esse tipo acha esse conjunto o uniforme da ‘elegância’. Geralmente abrem

       salão na cidade com os nomes de Roberto’s Coiffeur, Cabral’s, Antonio’s e por aí vai.
   3) Sapato social de ‘franjinha’ (aquele detalhe de penduricalho em cima). Se for curto a ponto de aparecer

       a meia branca por baixo, a coisa beira a piedade. Esse tipo fica ótimo num dublador de Michael Jackson

       cantando  ‘Billie Jean’ no Largo da Carioca.
   4) Calça de cintura alta, a chamada ‘Saintropeito’. Cuidado com os testículos! Eles não têm culpa se você

       se veste mal. Gerentes de churrascaria rodízio costumam adotar esse visual acompanhado de uma
       vistosa camisa vermelha de seda javanesa.
   5) Perfume KOUROS (Yves Saint Laurent). Num acampamento pode ser usado como repelente

       (pena dos seus companheiros de viagem). Um cara que usa esse perfume se torna inesquecível.

       O trauma nas pessoas ao redor é irreversível.
   6) Essa vai doer em muito ‘Maurício’ mas é a minha opinião: Casaquinho de lã jogado nas costas e

       amarrado na frente. Esse visual geralmente vem acompanhado de um cabelo arrumado pela mamãe

       a ‘La Roberto Justus’. Tem solução, mas tem quem ser mudado ainda na infância ou no máximo na
       adolescência. Depois fica difícil.
   7) Unha suja (e sem cortar). Se você não for o mecânico Pascoal da novela ‘Belíssima’, pode ter certeza

       que brochará sua namorada ou pretendente. Caso seja bonito como o Gianechinni, ela será somente

       um pouco mais tolerante, entretanto, irá pedir para limpá-las assim que acabar a noite de fetiche com

       um desleixado. Não esqueça também de aparar aqueles pelinhos horríveis que por ventura saiam do nariz

       ou da orelha – em nome da higiene, please!!!!
   8) Base incolor na unha. Triste amigo. Só limpar e cortar já é suficiente. Cuidado se tem esse hábito, pois

      daqui a pouco estará pedindo ‘francesinha’ no salão.
   9) Fazer sobrancelha. Se for tirar um fio maior, ok. Agora, se for limpar e afinar nas extremidades, é melhor

       tomar cuidado. Daí para usar rímel e delineador é um pulo. Não estranhe se vier uma vontade incontrolável

       de chamar um amigo de infância para assistir  ‘Brokeback Mountain’ comendo pipoca light.
  10) Cueca furadinha tipo antiga Adams de cor (vermelha, amarela, marrom,etc…). Amigo, por favor, treine tirar

        a calça puxando a cueca junto. Nenhuma mulher no mundo agüenta esse choque visual. Se ela vir a sua

        cueca é provável que você fique na mão (literalmente).
(Arnaldo Jabor)

 

Um comércio de horrores

A Tanzânia condena pela primeira vez caçadores de albinos.
Devido a uma tenebrosa superstição, essas pessoas são
mortas e têm o corpo retalhado para ser vendido a feiticeiros


Nathália Butti

Esdras Nidkumana/AFP

VIDA EM PERIGO
Uma mãe com seu bebê albino no Burundi: tradição macabra

Um tribunal da Tanzânia mandou para a forca, na terça-feira passada, três homens que mataram um menino albino de 14 anos e amputaram suas pernas. É a primeira condenação para um tipo de crime comum no país. Desde 2006, pelo menos 75 albinos foram mortos e esquartejados no país. O albinismo é uma deficiência na produção de melanina, o pigmento que dá cor a pele, olhos, cabelos e protege da radiação ultravioleta. Os portadores da deficiência têm a pele pálida e vulnerável ao câncer, cabelos finos e olhos sensíveis à luz. Devido a uma superstição macabra, que atribuiu poderes sobrenaturais aos "zero-zero" – como são pejorativamente chamados –, nenhum albino está a salvo na África Oriental, sobretudo na Tanzânia e no Burundi. Eles são caçados e têm o corpo retalhado para ser vendido aos fabricantes de mandingas. Samwel Mluge, albino de 50 anos que vive na Tanzânia, casou-se com uma albina e a alteração genética foi transmitida aos seus cinco filhos. "Sempre digo às crianças para serem cuidadosas e só andarem em grupo", disse Mluge a VEJA. "Eu me sinto caçado como um animal."

Na Tanzânia, país entre os últimos colocados no ranking de desenvolvimento humano da ONU e com renda per capita de 440 dólares, o comércio de órgãos para feitiçaria é um negócio que vale qualquer risco. As partes mais valorizadas do corpo de um albino (dedos, língua, braços, pernas e genitais) podem atingir 3 000 dólares a peça. Apesar de a incidência de albinismo no país estar cinco vezes acima da média mundial, a demanda é tão grande que a Tanzânia importa clandestinamente pedaços de corpos. Pescadores tecem fios de cabelo de albinos em suas redes para ter sucesso na pescaria. Mineiros penduram no pescoço amuletos feitos com seus ossos moídos. Quem consegue beber o sangue ainda quente de um albino tem sorte em dobro. Melhor ainda se for de uma criança, pois a pureza infantil intensifica o poder do feitiço.

Alimentado pela miséria e pela ignorância, um extenso rol de tradições brutais persiste na África. A mutilação genital das meninas é a norma entre a etnia majoritária do Quênia, por exemplo. A tortura e o assassinato pelos próprios familiares de crianças acusadas de possessão demoníaca são uma praga na África Austral. O caso dos albinos provoca maior indignação mundial devido aos esforços de um albino canadense, Peter Ash, que criou a ONG Under the Same Sun para pressionar o governo da Tanzânia a reprimir o tráfico de carne humana. Poucas providências foram tomadas. "Sabemos que pessoas poderosas se consultam com os feiticeiros e não querem ver seu nome em tribunais. Se as vítimas fossem normais, os culpados já estariam presos", disse Ash a VEJA. Na semana passada, ele desembarcou na Tanzânia para continuar sua campanha. Por razões óbvias, fez-se acompanhar de três guarda-costas.

A parte mais importante do corpo

Quando eu era muito jovem, minha mãe me perguntou qual era a parte mais importante do corpo. Eu achava que o som era muito importante para nós seres humanos, então eu disse:

– Minhas orelhas, mãe.

– Não. Muitas pessoas são surdas. Mas continue pensando sobre este assunto. Em outra oportunidade eu volto a lhe perguntar.

Algum tempo se passou até que minha mãe me perguntou outra vez. Desde que fiz minha primeira tentativa, eu imaginava ter encontrado a resposta correta. Assim, desta vez eu lhe disse:

– Mãe, a visão é muito importante para todos, então devem ser nossos olhos.

– Você está aprendendo rápido, mas a resposta ainda não está correta, porque há muitas pessoas que são cegas.

Dei mancada outra vez. Mas continuei minha busca pela resposta ao longo do tempo. Minha mãe me perguntou várias vezes e sempre sua resposta era “Não. Mas você está ficando mais esperto a cada ano, minha criança”.

Então, um dia meu avô morre. Todos ficaram tristes. Todos choraram. Até mesmo meu pai chorou. Eu me recordo bem porque tinha sido apenas a segunda vez que eu o via chorar. Minha mãe olhou para mim quando fui dar o meu adeus final ao vovô. Ela me perguntou:

– Você já sabe qual a parte do corpo mais importante, meu filho?

Fiquei chocado por ela me fazer aquela pergunta naquele momento. Sempre achei que era apenas um jogo entre nós. Observando que eu estava confuso ela me disse:

– Esta pergunta é muito importante. Mostra como você viveu realmente a sua vida. Para cada parte do corpo que você citou no passado, eu lhe disse que estava errado e eu lhe dei um exemplo que justificava. Mas hoje é o dia que você necessita aprender esta importante lição.

Ela me olhou de um jeito que somente uma mãe pode fazer. Eu vi lágrimas em seus olhos. Ela disse:

– Meu querido, a parte do corpo mais importante é seu ombro.

– Porque eles sustentam minha cabeça?

– Não, é porque pode apoiar a cabeça de um amigo ou de alguém amado quando eles choram. Todos precisam de um ombro para chorar em algum momento de sua vida, meu querido.Eu espero que você tenha bastante amor e amigos e que você tenha sempre um ombro para chorarem quando precisarem.

E, para completar, em algum lugar eu li. As pessoas se esquecerão do que você disse… as pessoas se esquecerão do que você fez… mas as pessoas nunca se esquecerão de como você as fez sentir.

[anônimo]

Perceba…

Perceba que mais um dia começou e, que bom, ele é todo seu.

Perceba que você tem o tempo em suas mãos e, mesmo quando atolado em problemas, a vida espera que você tome as decisões para seguir em frente.

Perceba que se você ficar deitado, com medo da vida, com medo até do ar que respira, tudo ao seu redor vai parar.

Perceba que você é o capitão de um navio cuja rota e destino dependem de suas atitudes.

Perceba que culpar a situação, a crise e as pessoas é a nossa primeira reação de defesa quando sentimos que perdemos o comando do nosso navio, e que para retomar o timão é preciso coragem para assumir as próprias fraquezas, é preciso determinação para seguir na direção certa, determinada por você.

Perceba que a vida o presenteou com inúmeros recursos, como a inteligência e a capacidade de comunicação. Se você usufrui destes recursos, já tem tudo isso e ainda sabe que é um ser privilegiado, então não falta nada, só falta rumo e determinação.

Perceba que todas as pessoas possuem qualidades e defeitos. Sem respeitar o ser humano que luta ao seu lado por dias melhores, o seu navio encalha e atrapalha os outros que estão chegando.

Perceba que a felicidade talvez já não seja mais um porto distante, mas um ponto no horizonte.

[Anônimo]

 

 

A Palavra Perdida Redescoberta

Escrito por Gary D. Colby Seg, 14 de Setembro de 2009 15:22

(Cada irmão recebeu um envelope com os dizeres “Não abra o envelope até que seja solicitado”.)

Meus Irmãos:
Tenho um anúncio emocionante. Encontrei a palavra perdida de um Mestre Maçom! Ela está no envelope diante de você – mas não o abra ainda!
Armados com a palavra perdida, nossos irmãos, no passado, eram reconhecidos, honrados, e bem recebidos em todo o mundo.
Eles eram líderes em e de suas comunidades. Eram policiais, empresários, médicos, operários, advogados e estadistas. Cada cidadezinha tinha uma Loja Maçônica no seu centro, e cada capital tinha suas Lojas fortemente unidas.
Os maçons alimentavam os famintos, vestiam os nus, alojavam, educavam, e protegiam os órfãos. Nossos irmãos históricos eram a nata de suas comunidades.
Eles sabiam quem eram, e todo mundo sabia quem eles eram. Tudo por causa de uma única palavra!

Em algum lugar ao longo da linha, a palavra foi perdida. Os maçons esqueceram sua palavra. Eles não a passaram adiante. Os novos nunca a aprenderam. No espaço de poucos anos, ao que parece, ninguém mais sabia a palavra.
Hoje, muitos maçons parecem não perceber que  tal palavra sempre existiu. Mas existiu – e existe!
A palavra era uma parte do alicerce sobre o qual a Maçonaria foi construída. É uma parte da organização – guardada  em um cofre subterrâneo.
Embora a palavra possa ter desaparecido da mente dos maçons, ela se encontra ali até que gerações futuras a descubram.
Eu não alego uma genialidade ou astúcia especial por tê-la descoberto. Em vez disso, sinto-me um pouco como o Huno que descobriu a Grande Muralha da China, na revista em quadrinhos de Gary Larson, "Far Side", (um cavalo e o cavaleiro pregados contra a muralha, e um homem pensando “diabos, de onde veio ISSO?")
A hora chegou, senhores, de cada um de vocês agora redescobrir a palavra perdida. Abram seus envelopes, por favor.
"RELEVÂNCIA", meus irmãos, é a palavra perdida do Mestre Maçom.
Há muito tempo atrás, nossa Fraternidade era relevante. Fazíamos um bom trabalho, e os homens se atropelavam para se juntar a nós.
Nós ajudávamos os pobres. Nós ajudávamos os desesperados. Nós o fazíamos, juntos, e fazíamos bem!
Nós éramos uma Irmandade, e não uma burocracia.
Hoje, infelizmente, o inverso está mais perto da verdade. Temos linhas de Oficiais da Grande Loja, linhas de Oficiais de loja, linhas disso, comissões daquilo, conselhos de alguma outra coisa, mas onde nos conduzem essas linhas? Será que elas nos conduzem a algum lugar? Será que elas realmente nos conduzem?
Tudo se resume a três pequenas palavras, e uma um pouco maior: COMO NÓS SOMOS RELEVANTES?
Hoje, podemos reunir 25 homens para presentear uma comenda de 50 anos de maçonaria. Que diabos! 25 homens vão procurar UM Irmão para lhe dar uma comenda de 50 anos!
Enquanto isso, o Joãozinho na escola do fim da rua NÃO SABE LER, o seu parque de diversões está caindo aos pedaços em torno dele, e ele tem medo de ir para casa porque os ratos saem de suas paredes durante a noite!
É verdade, no seu estado atual, nossa Fraternidade não pode corrigir todas estas coisas, nem sequer a maioria delas, mas o QUE ESTAMOS FAZENDO?
Estamos preocupados com o buraco na tela da porta da viúva Harrison, e no próximo mês estamos dando uma bolsa $ 100 para o filho de algum maçom que vai entrar na faculdade, independente se ele ganha ou não ganha o dinheiro.
Ah, e então, naturalmente, vamos nos dar uma palmadinha nas costas e aplaudimos alguns mais que outros.
Agora, não me interpretem mal; nada há de errado em ajudar Maçons com mais freqüência que não-maçons. No entanto, se vamos nos perguntar por que os membros de nossas comunidades não estão mais nos procurando, temos de tentar nos ver da forma como eles nos vêem.
O que os Maçons fazem que seja relevante para as pessoas em suas comunidades?
Ok – vamos ajudar a comprar UTIs de câncer, ou talvez fazer uma campanha de coleta de sangue de vez em quando, e, algumas vezes, convidamos os escoteiros para uma reunião, mas hei! Quem não faz isso?
O que diferencia a Maçonaria de outras organizações? Por que nós esperamos que os homens se juntem a nós em vez do Lion’s Club, o Rotary Club e outros clubes de serviço?
No momento, a nossa melhor resposta parece ser: Segredos! Grandes Segredos! Grandes segredos Importantes!
Francamente, acho que temos vivido das glórias de nossos irmãos no passado por um longo tempo. Acho que os homens se juntam a nós hoje, porque eles querem participar de um clube social, e eles  ouviram falar do passado glorioso da maçonaria.
Acho que se candidatos potenciais soubessem da confusão em que se encontra a Fraternidade neste momento, estaríamos em maiores apuros do que estamos agora…
A investigação realizada pela Força Tarefa de Renovação Maçônica que foi convocada, e em seguida ignorada pela Conferência dos Grãos-Mestres nos EUA indica o que os homens querem:
-eles querem oportunidades sociais – tanto para si quanto para suas famílias.
-eles querem oportunidades para servir suas comunidades – eles querem meter a mão na massa, não apenas emitir cheques.
-Eles querem aprender a se tornar melhores líderes, e eles querem, com o tempo, tentar assumir uma liderança.
ISTO É RELEVÂNCIA! ISTO É O QUE OS HOMENS QUEREM!
E porque não estamos oferecendo essas coisas agora, poucos homens estão aderindo – e eles não vão ingressar até nós lhes ofereçamos isso!
Hoje, os homens não querem que percamos seu tempo lendo atas e apresentando convidados. Nossas pesquisas mostram que não querem ritual, eles não querem receber pregações, eles não querem "refletir sobre as lembranças felizes produzidas por uma vida bem vivida  e morrer na esperança de uma imortalidade gloriosa".  ELES QUEREM VIVER! Aqui! Hoje! Agora!
Eles vêm até nós porque querem que lhes proporcionemos a oportunidade de se reunir, servir e liderar – e, se a nossa Fraternidade quer sobreviver, vamos ter que lhes fornecer essas oportunidades.
É ESTE O NOSSO DESAFIO!
ISTO É SER RELEVANTE!
– e ISSO é o que nos vai levar para o século XXI e além.

(Manifestação de Gary D. Colby na Loja Union Station, em Washington, EUA. Recebida na lista de e-mails ritomoderno@yahoogrupos.com.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. , transmitida por José Filardo em 27/07/2009)

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s