Culpa…

Culpa, medo e manipulação, como se libertar do jogo?

                Certa vez atendi um rapaz com sérios problemas no casamento. Já havia um certo tempo em que ele se sentia insatisfeito e acabou se envolvendo com outra mulher. O relacionamento extra conjugal veio a tona. A esposa descobriu tudo e muito sofrimento foi gerado. A princípio decidiram se separar. Passado certo tempo da separação conversaram e decidiram retomar o casamento. Ela falava que tentaria perdoar o ocorrido e ele afirmava que tudo seria diferente dali por diante já que dizia realmente gostar da sua esposa e se sentia culpado pelo sofrimento que havia causado.

                Entretanto, algo muito mais fundamental, que vai além do diálogo racional não foi cuidado até aquele momento: os sentimentos de raiva e mágoa da esposa e a culpa que ele sentia.

                Guardando ainda ressentimentos do marido, a esposa passou a exigir mais e mais dele no relacionamento. Demandava que ele abrisse mão de todas as suas vontades para satisfazer as dela. Era ao mesmo tempo uma forma de puni-lo e de exigir que ele provasse que a amava. Como ele carregava a culpa de tê-la feito sofrer no passado, não conseguir impor limites e cedia cada vez mais, para compensar o que tinha feito.

                Esse jogo de manipulação acabou dando origem a brigas e mais sofrimento. Embora os dois afirmassem que desejavam continuar casados, a situação ficava cada vez mais insustentável.

                Quem guarda raiva ou mágoa de outra pessoa será levado de forma inconsciente por esses sentimentos a querer se vingar. Isso pode vir na forma de manipulação como ocorria com este casal. Mas o jogo só funciona quando o outro lado se sente culpado e cede as manipulações como forma de tentar compensar a culpa. Ela remoia e alimentava a mágoa do marido, e ele, sem saber, estava também alimentando a mágoa dela ao manter o sentimento de culpa pois entrava no jogo da chantagem. A cada dia ficavam mais infelizes.

                O jogo de manipulação precisa das duas partes para sobreviver: um lado magoado e o outro lado que sente culpado para ceder ao jogo. Só existia uma maneira para que ele saísse desse jogo. Ele precisava acabar completamente com todo o seu sentimento de culpa, assim conseguiria impor limites na relação. Isso acabaria sendo benéfico para os dois, pois ela passaria a respeitá-lo e o relacionamento certamente melhoraria. Expliquei isso pra ele e fizemos um trabalho profundo usando a EFT para dissolver toda a culpa, até que ele conseguiu se sentir em paz e se perdoar cem por cento.

                Depois de dissolvido o sentimento, orientei que ele deveria conversar com a esposa, dizendo que entendia a responsabilidade do que ele havia feito e que estava consciente do sofrimento que havia causado. Mas mesmo assim, a partir daquele momento ele voltaria a ter seu espaço no relacionamento como tinha antes. E que se não fosse dessa forma, seria melhor realmente uma separação definitiva pois aquela situação só estava causando mais sofrimento para os dois lados.

                Surgiu então o medo de que isso o levasse a se separar. Esse é também um sentimento que dá grande margem para a manipulação. Fizemos também bastante EFT para dissolver por completo esse medo. Assim ele foi inteiro para conversar com a esposa. Sem culpa, sem medo e com muita sinceridade.

                No início ela reagiu a nova postura e tentou fazê-lo novamente sentir culpa relembrando o sofrimento que ele havia lhe causado. Ele ouviu e voltou a afirmar que sabia da sua responsabilidade mas que viveria a vida daquele momento por diante, e que se ela não estivesse preparada, a separação era o único caminho. Ele recomeçou a impor os limites e ela de vez em quando ainda tentava puni-lo. Mas como não havia mais o sentimento de culpa ele não mais cedia, deixando de alimentar a mágoa da esposa. Isso pode parecer frieza para algumas pessoas, mas não se trata disso. É apenas uma forma madura, livre de negatividade, de lidar com uma situação difícil. Ele já havia anteriormente pedido perdão várias vezes, mas ela permanecia alimentando a mágoa. Depois da nova postura, em poucos dias o relacionamento foi se transformando e as brigas  acabaram.

                A culpa que ele sentia servia para alimentar a raiva dela. No momento em que ela foi dissolvida a mágoa não mais conseguia crescer da parte da esposa pois não havia mais qualquer ganho secundário em mantê-la já que não era mais possível manipulá-lo.

                Quando estamos nesse jogo, a única forma de conseguirmos nos libertar é liberando nossos sentimentos de culpa e medo, deixando o outro livre para se afastar se ele desejar. Mas o afastamento raramente vai ocorrer. Normalmente o que acontece é que nós paramos de alimentar uma relação doente e o outro lado fica também mais saudável e acaba se aproximando de uma forma muito melhor.

                Esse jogo também pode ocorrer entre pais e filhos. Uma mãe que abandonou a filha e depois tenta retomar a relação com ela será muito suscetível a ser manipulada se guardar sentimentos de culpa. A filha vai alimentar a sua mágoa jogando na cara o quanto sua mãe lhe fez sofrer. Com isso a mágoa cresce e a filha tem o poder de conseguir mais coisas desse relacionamento doente. No momento em que essa mãe se libertar da culpa pelo erro cometido e do medo que a filha se afaste, ela conseguirá se aproximar da filha com outra postura e não se deixará manipular. A filha a princípio irá tentar manter o jogo, mas não haverá o outro lado contribuindo. A tendência será então que haja uma reaproximação e melhora na qualidade do relacionamento.

                O processo também pode ocorrer dos filhos para os pais. Filhos de pais manipuladores carregam muitas culpas. Esse pais são mestres em criar esse sentimento nos filhos. Cobram de mais e fazem chantagem emocional. O filho se sente um devedor, que nunca atende as expectativas, e se sente culpado por não conseguir dar alegria aos pais. Movido pela culpa, vira uma presa fácil da manipulação, cria uma vida infeliz de escolhas para agradar o pais, e alimenta a mágoa insana deles. Curando sua culpa, conseguirá se libertar desse jogo, será mais respeitado e uma transformação para melhor ocorrerá no relacionamento.

                O manipulador, embora possa parecer que está ganhando algo, apenas alimenta o seu ego e cria sofrimento para si mesmo e para os outros. A satisfação em fazer o outro atender a sua vontade é apenas uma falsa satisfação que encobre mágoas e problemas de autoestima. Esse texto é importante para ajudar a identificar os dois papéis, assim é possível se libertar de qualquer um deles com mais facilidade.

                Para quem deseja uma experiência profunda com a EFT, recomendo o curso de EFT e o Perdão. Perdoar ajuda a melhora a vida em todas as áreas (autoestima, relacionamentos, saude fisica, prosperidade):

 

 

 

O SETENÁRIO E A UNIDADE

58. O setenário é o número mais sagrado, porque contém a Trindade e o Quartenário e porque representa o poder divino em toda a sua plenitude. No setenário encontramos o Eu

Sou atuando e ajudado por todos os elementos.

Quando o Iniciado chega a desenvolver seus sete centros magnéticos e atuar nos sete mundos, o

Querub entrega-lhe a espada flamígera para abrir a porta do Éden, como o vimos em outra parte, e obterá o signo da vitória mencionado no Apocalipse de S. João.

59. A idade do Mestre, na Maçonaria, é de sete anos, o que equivale ao desenvolvimento dos sete centros magnéticos,chamados as sete igrejas regidas pelos sete anjos do Senhor.

Esse número nasce do seis pela unidade central dos dois triângulos entrelaçados, conhecidos por Signo de Salomão ou Estrela Macrocósmica.

60. Na Cabala o número sete é representado pelo carro de Triunfo, porque o Iniciado, que ocupa o centro dos elementos, está armado de espada em u’a mão e tem, na outra, um cetro cuja ponta finda num triângulo e numa bola, signos de poder e domínio.C om o sete, o Iniciado domina as duas forças da alma do mundo, afirma-se em sua trindade, reina sobre os quatro elementos, coroase com o Pentagrama, equilibra-se com os dois triângulos, o número seis, e por último, faz a função de Deus Criador com o número sete.

61. O número sete entra em todas as circunstancias da vida, rege o desenvolvimento do homem e os acontecimentos do mundo, material e moralmente.

1.° A mulher tem, todo mês, um período de 14 dias (duplo sete) em que pode ser fecundada, e outro, estéril.

2.° Até sete horas depois de nascido, não se sabe se o novo ser é apto para a vida.

3.° Aos 14 dias (2 vezes sete) os olhos da criatura podem seguir a luz.

4.° Aos 21 dias (3 vezes sete) volta a cabeça impelido pela curiosidade.

5.° Aos sete meses saem-lhe os primeiros dentes.

6.° Aos 14 meses (2 vezes 7), anda.

7.º Aos 21 (3 vezes 7) exprime seu pensamento por meio da voz e do gesto.

8.° Aos sete anos rompem-lhe os segundos dentes.

9.° Aos 14 anos desperta-se nele a energia sexual.

10.° Aos 21 anos chega à puberdade e está fisicamente formado.

11.° Aos 28 anos (4 vezes sete) cessa o desenvolvimento físico e começa o espiritual.

12.° Aos 35 anos (5 vezes sete) chega ao máximo de força e atividade.

13.° Aos 42 anos (6 vezes sete) chega ao máximo da aspiração ambiciosa.

14.° Aos 49 anos (7 vezes 7) chega ao máximo de discrição e começa a decadência física.

15.° Aos 56 anos (8 vezes 7) atinge a plenitude do intelecto.

16.° Aos 63 (9 vezes 7) prevalece a espiritualidade sobre a matéria.

17.° Aos 70 anos (10 vezes 7) inicia-se a inversão mental e sexual, e o homem se torna, como se diz vulgarmente, criança.

Podem-se juntar muitas concordâncias mais, que explicam a afinidade que parece haver no número 7; por exemplo, as enfermidades epidêmicas, que estão regidas por esse número.

Sarampo, varíola, varicela, etc., exigem 7 ou 14 dias para cura; a febre tifóide, 21 dias, etc…., porém consideramos suficientes as indicadas.

62. O objetivo da Iniciação interna é o desenvolvimento dos sete centros magnéticos, chamados também sete igrejas ou sete anjos. Por meio da aspiração,

respiração e concentração, o Iniciado pode produzir o oco na coluna vertebral, para que a energia criadora vá desselando os sete selos da Revelação de S. João até que seu corpo chegue a converter-se na Cidade Santa que “desceu do céu.”

63. Os sete planetas frente ao Sol colocaram-se 8 distancias diversas segundo a rapidez de suas vibrações.

Cada qual dos sete planetas recebe a luz do Sol em diferente medida, consonante sua proximidade à órbita central e a constituição de sua atmosfera e seres de cada um.

Em harmonia com o estado de seu desenvolvimento, tem afinidade com um ou outro dos raios solares. Os planetas, chamados

Sete Espíritos ante o Trono, absorvem a cor ou cores, dão um som em congruência com eles e refletem o resto sobre os demais planetas. Esses raios refletidos levam consigo impulsos da natureza do ser, com o qual estiveram em contato.

64. Como é em cima, assim é embaixo, portanto, o

Eu Sou, o Deus íntimo e invisível, envolve dentro do seu Ser tudo o que é, como a luz branca do Sol envolve todas as cores. Manifesta-se em forma de Trindade, como a luz branca se retrata nas três cores primárias: Azul, Amarelo, Vermelho, Pai, Filho e Espírito Santo, Vida, Consciência e Forma, sobre cada um dos sete centros magnéticos do homem, que são os “sete Anjos diante o Trono do Íntimo”. Esses também têm cor e som como os de cima.

65. Assim como cada planeta pode absorver do Sol somente determinada porção de uma ou mais cores, em harmonia com o estado geral da evolução nele, assim também cada centro magnético recebe e absorve do Sol Espiritual, do Íntimo, certa quantidade dos diferentes raios projetados. Estes produzem iluminação espiritual segundo o grau de desenvolvimento do mesmo centro, que dá ao homem a consciência e o desenvolvimento moral como os raios da Lua dão crescimento físico.

66. Cada centro magnético do homem vibra em cor e som como vibra um planeta no firmamento; essa vibração dá ao ser humano a energia necessária para que a evolução possa prosseguir.

Cada centro, qual um planeta, absorve umas tantas cores e refrata outras para os demais; cada cor indica um poder ou virtude.

A debilidade de uma cor, num centro, representa o predomínio do seu contrário e, portanto, um vício.

67. Desenvolver um centro é avivar sua cor própria para corresponder ao apelo do íntimo. Mas, antes de entrar em pormenores, devamos explicar os valores das sete cores primárias.

Vermelho:

indica pensamento potente, sentimentos apaixonados e virilidade física.

A debilidade dessa cor representa-se pelo tom roxo.

Alaranjado:

mostra gozo, sentimento alegre e saúde robusta. A debilidade dessa cor indica predomínio do azul celeste

Amarelo:

delata lógica, intuição, anelo de saber, sabedoria, sensibilidade. Sua debilidade assinala predomínio do anil.

Verde:

indica otimismo, confiança e sistema nervoso equilibrado. Na debilidade manifesta-se como alaranjado.

Índigo (anil):

indica pensamentos concentrados, tranqüilidade. Na debilidade dessa cor predomina o amarelo.

Roxo:

Denota misticismo, devoção, boa digestão e assimilação. Na debilidade acentua-se o vermelho.

É claro que, sendo um centro débil de cor, nele haja de preponderar o seu contrário, o qual, em si mesmo, é mui necessário, porém, noutro lugar, e não no centro debilitado.

68. Tudo, na vida, tem relação entre si e não nos cansamos de repetir a frase hermética: “Como é em cima, assim é embaixo, e como é embaixo, assim é em cima”.

Antes de empreendermos o estudo do desenvolvimento dos centros do corpo humano, o arrancar os selos, que é a iniciação apocalíptica, devemos conhecer a relação entre as Igrejas do Homem, seus sete anjos, com os planetas, cores, sons, virtudes, vícios, etc.

69. Tomando como o centro o Sol, o astro que verdadeiramente nele se acha, e segundo nossa observarão da Terra, temos:

7 planetas

Lua, Mercúrio, Vênus, Sol, Marte, Júpiter, Saturno.

7 dias da semana

Segunda, Terça, Quarta, Domingo, Quinta, Sexta, Sábado.

7 Anjos superiores dos Planetas

Gabriel, Rafael, Asrael, Michael, Samael, Zadkiel, Zafkiel.

7 Espíritos interiores dos Planetas

Gabriel, Rafael, Anael, Michael, Samael, Tachel, Cassiel.

7 virtudes

Esperança, Temperança, Amor, Fé, Fortaleza, Justiça, Prudência.

7 metais

Preta, Mercúrio, Cobre, Ouro, Ferro, Estanho, Chumbo.

7 vícios

Avareza, Inveja, Luxúria, Vaidade, Violência, Gula, Egoísmo.

7 cores

Verde, Amarelo, Roxo, Alaranjado, Vermelho, Azul, Índigo.

7 notas musicais

Fá, Mi, Lá, Ré, Dó, Sol, Si.

7 Igrejas do

Apocalipse

Éfeso, Pérgarno, Filadélfia, Tiatira, Esmirna, Sardo, Laodicea

7 centros magnéticos, estrelas ou flores

Fundamental, Umbilical, Frontal, Cardíaco, Esplênico, Leríngeo, Coronário.

7 Sacramentos

Batismo, Confirmação, Matrimônio, Sacerdócio, Penitência, Eucaristia, Extrema unção.

7 Perfumes

Ambar, Benjoim, Almiscar, Laurel, Ajenjo, Açafrão, Mirra.

7 vogais francesas

Ô A Ü E I U

e EU.

7 Consoantes

Assim poderíamos continuar enumerando muitos setenários.

Porém bastam esses.

JORGE ADOUM

( MAGO JEFA )

O MESTRE MAÇOM E SEUS MISTERIOS

Postado por Walter Sarmento às 06:26 0 comentários Links para esta postagem

sábado, 18 de fevereiro de 2012

FÉ, ESPERANÇA E AMOR

 

 

Existem técnicas para ajudar pessoas que esquecem nomes. Uma delas fez de um americano muito distraído um campeão de memória. Ela serve para decorar qualquer coisa, até uma lista inteira de compras no supermercado.
Até pouco tempo atrás, Joshua Foer não confiava muito na memória. “Eu esqueço as coisas o tempo todo”, conta. Até o dia em que descobriu uma técnica de memorização que foi inventada na Grécia, no século V antes de Cristo, e viu que o truque poderia mudar tudo. “Você pode treinar sua memória para fazer coisas extraordinárias”, afirma. Ele se tornou campeão americano de memória e escreveu um livro contando o segredo.
Prepare-se para transformar seu cérebro em um supercérebro. Imagine se alguém pede a você para lembrar uma lista como essa:
– Sorvete de milho diet
– 1 pula-pula
– 6 garrafas de manteiga de garrafa
– Mandar um e-mail pra Melissa
– 1 chapéu panamá branco
– 7 carretéis de linha roxa
– 4 casais de periquitos cinza
– 7 camisas de futebol
– 1 remédio para dor de cabeça (em gotas)
Com a técnica, você não vai esquecer – nunca mais! – nenhum desses itens. Este é o primeiro método de memorização de que se tem notícia e se chama “Palácio da Memória”.
Para explicar melhor, o Fantástico “construiu” uma casa virtual. Imagine que você entrou na sala da sua casa. No local, você vai colocar o primeiro item da lista, que é sorvete de milho diet. Para ele ficar bem gravado na sua memória, você precisa imaginar o sorvete de milho em uma situação muito estranha, que você nunca imaginou na vida e que também nunca vai esquecer. Por exemplo: pense em uma daquelas piscinas de plástico, cheia de um creme gelado, amarelo, com cheiro de milho-verde. Para isso se fixar ainda mais na sua memória, imagine a Angelina Jolie nadando nessa piscina. Ela é magra – e isso você associa ao fato de o sorvete ser diet. Essa é a técnica: uma cena absurda em um ambiente muito familiar. E assim vai.
Na mesa da sala, você coloca o Michel Teló em um pula-pula ao som de “Ai se eu te pego”. Difícil esquecer essa cena, né?
No sofá da sala, pense nas seis garrafas de manteiga de garrafa em tamanho humano, sentadas no sofá, conversando. Pode até imaginar elas meio metidas, porque se acham melhores que a manteiga normal.
Mandar um e-mail para Melissa? É fácil lembrar da Mel, se você imaginar o Mel Gibson mandando uma carta gigante pelo ralo da pia da cozinha.
Um chapéu panamá branco? Pense nele na bancada da cozinha. Para lembrar que ele é branco, imagine cheio de arroz.
Para os sete carretéis, pense neles amarrados à lâmpada da cozinha, subindo e descendo com sua linha roxa. Para reforçar que são sete, imagine um gato voador brincando com elas. Um gato tem sete vidas.
Periquitos cinza brincando no vaso sanitário do seu banheiro.
Para lembrar as sete camisas de futebol, uma partida em cima da sua cama entre mulheres de calcinha e homens de cueca.
E para lembrar o remédio para dor de cabeça, imagine um grande cérebro vermelho saindo do seu armário. Uma gota cai nele, e ele fica azul.
Quanto mais você pratica mais fácil fica para você imaginar cenas inesperadas. E mais objetos você é capaz de memorizar.
Tem gente que já memorizou livros inteiros. E é muito mais simples do que pode parecer. O Fantástico aplicou a técnica em um supermercado.
A comerciária Cirila imaginou seu próprio Palácio da Memória, lembrando a casa onde mora.
“Entrei na minha cozinha e dei de cara com uma piscina de margarina”, diz.
Refazendo mentalmente a história que criou, ela foi se lembrando de todos os itens. Depois da mortadela veio a água sanitária para lavar o banheiro.
“Vou mergulhar em uma cama cheia de queijo ralado”, descreveu.
Para se lembrar da batata-palha, Cirila conta que imaginou que, ao abrir o guarda-roupa, caiu um monte de batata-palha em cima dela.
“Tem uma historinha”, diz Cirila, que afirma não ser difícil de montar.
A imagem do sorvete trazia o creme caindo todo em cima de Cirila e sujando a comerciária. Ela se lembrou de todos os itens. Assim funciona o Palácio da Memória. “Eu decorei justamente porque teve todo aquele ritualzinho”, diz ela.
Quer saber se você também consegue? Fizemos um joguinho para testar sua habilidade. Aqui você confere outros truques do campeão de memória.

Faça o teste!

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s