MACRO VISÃO

Se você não está conseguindo visualizar este e-mail, clique aqui.

Informativo eletrônico – Edição 1153

Quinta-Feira, 07 de fevereiro de 2013

 

Prezado leitor,

Você está recebendo o Macro Visão. Veja os destaques desta edição:

Economia Brasileira

· IGP-M se mantém estável na 1ª prévia de fevereiro

· IPCA apresenta aceleração e fecha janeiro com alta de 0,86%

Economia Internacional

· Produção Industrial de dezembro avança na Alemanha e no Reino Unido

IGP-M se mantém estável na 1ª prévia de fevereiro

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) apresentou variação de 0,41% na primeira prévia de fevereiro, taxa idêntica à apresentada no mesmo período do mês anterior, segundo os dados divulgados nesta manhã (07/02) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), referentes à variação de preços no intervalo entre os dias 21 e 31 de janeiro.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) – correspondente a 60% do IGP – apresentou desaceleração, já que o índice registrado no primeiro decêndio de fevereiro foi de 0,37%, frente a 0,46% no mesmo período do mês anterior. Em sentido contrário, a variação de preços referente a Bens Finais avançou de 0,93% no primeiro decêndio de janeiro para 1,05% no mesmo período de fevereiro, sendo que essa aceleração foi impulsionada especialmente pelo subgrupo Combustíveis, cuja variação passou de -0,07% para 4,83%. A categoria de Bens Intermediários também acelerou sua variação, de 0,58% para 1,16%, sendo que a principal contribuição para tal intensificação veio do subgrupo Combustíveis e lubrificantes para a produção, que passou de -0,28% para 4,19%. Podemos identificar, portanto, que a aceleração registrada nas categorias de Bens Finais e Bens Intermediários foi provocada, principalmente, pelo reajuste de preços da gasolina e do diesel no período.

A desaceleração do IPA foi impulsionada pelo aumento da deflação na categoria de Matérias-Primas Brutas, que registrou variação de -1,31% na primeira leitura de fevereiro, frente a -0,18% no equivalente de janeiro. Os itens que apresentaram maior influência na variação do índice foram: soja em grão (de -2,89% para -9,32%), aves (de 2,55% para -2,25%) e mandioca (de 7,60% para 1,39%). Em direção contrária, os itens que registraram aumento na taxa de variação dos preços foram: minério de ferro (de 0,96% para 2,83%) e café em grão (de -3,45% para 2,42%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) – que corresponde a 30% do IGP – também registrou desaceleração, passando de 0,40% no primeiro decêndio de janeiro para 0,20% no mesmo período em fevereiro. Dentre os oito grupos de despesa analisados, Habitação e Saúde e Cuidados Pessoais apresentaram taxas menores na última aferição, ao passarem de 0,07% para -1,45% e de 0,37% para 0,30%, respectivamente. Já as categorias Vestuário e Comunicação permaneceram estáveis (0,71% e 0,00%, respectivamente). Por fim, os demais grupos apresentaram aceleração: Educação, Leitura e Recreação (de -0,06% para 1,33%), Transportes (de 0,14% para 0,34%), Alimentação (de 0,95% para 1,10%) e Despesas Diversas (de 1,66% para 2,04%).

Por sua vez, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) – correspondente a 10% do IGP – evidenciou a taxa de 1,15% no primeiro decêndio de fevereiro, enquanto que, no mesmo período de janeiro, a taxa registrada foi de 0,08%. Tal aceleração foi impulsionada pelos subgrupos relativos a Materiais, Serviços e Equipamentos e Custo da Mão de Obra, que variaram de 0,17% para 0,90% e de 0,00% para 1,39%, em termos respectivos.

IPCA apresenta aceleração e fecha janeiro com alta de 0,86%

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) apresentou variação de 0,86% no mês de janeiro, registrando uma aceleração frente ao índice de dezembro (0,79%). Trata-se da maior expansão mensal do indicador desde abril de 2005, quando a taxa de variação do IPCA foi de 0,87%. No acumulado de doze meses, o índice variou 6,15%, enquanto que o acumulado de 2012 mostrou taxa de 5,84%.

O grupo Alimentação e Bebidas apresentou a maior aceleração, passando de 1,03% em dezembro para 1,99% em janeiro, contribuindo com 0,48 p.p. na variação global do índice. As restrições de oferta imposta pelo clima pressionaram o nível de preços dos alimentos. As principais variações vieram do tomate (de 6,26% para 26,15%), da batata inglesa (de -1,80% para 20,58%) e da cebola (de -0,42% para 14,25%).

O grupo Despesas Pessoais, por sua vez, apresentou desaceleração em seu índice (de 1,60% para 1,55%), bem como o grupo Habitação, cuja variação decresceu de 0,63% para -0,20%, reflexo da queda de 3,91% do item energia elétrica, ocasionada pela medida de redução do valor das tarifas, em vigor desde 24 de janeiro, e que representou o maior impacto baixista do mês (-0,13 p.p.).

Dentre os demais grupos, três apresentaram aceleração: Artigos de Residência (de 0,27% para 1,15%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,40% para 0,73%) e Educação (de 0,19% para 0,35%), ao passo que dois mostraram taxas negativas: Vestuário (de 1,11% para -0,53%) e Comunicação (de 0,03% para -0,08%). O grupo Transportes manteve-se estável, dada a variação de 0,75%.

O IPCA de São Paulo acelerou de 0,62% em dezembro para 0,99% em janeiro. Belém apresentou a maior inflação dentre as capitais analisadas (1,06%), enquanto Brasília registrou a menor (0,46%).

Os dados referentes ao IPCA foram divulgados hoje (07/02) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Produção Industrial de dezembro avança na Alemanha e no Reino Unido

A produção industrial do Reino Unido avançou 1,1% em dezembro ante o mês imediatamente anterior, já descontadas as influências sazonais. Os dados divulgados pelo Escritório Nacional de Estatísticas (ONS, sigla em inglês) surpreenderam os analistas, que aguardavam alta de 0,9%. O desempenho mensal da indústria de transformação (1,6%), da atividade de mineração (1,2%) e do segmento de óleo e gás (3,2%) contribuíram de forma significativa para a expansão apresentada.

Na comparação do quarto trimestre de 2012 com o período imediatamente anterior, a produção industrial britânica recuou 1,9%. Na comparação de dezembro de 2012 face ao mesmo mês de 2011, a produção da indústria declinou 2,4%.

Na Alemanha, a produção industrial de dezembro cresceu 0,3% ante novembro, próximo ao esperado pelo mercado, que projetava expansão de 0,2%. Em novembro, a indústria havia retraído em 0,2%. Na comparação de dezembro de 2012 com igual mês do ano anterior, houve queda de 1,1%. Apesar da atividade industrial fraca, o Ministério de Economia alemão considera um cenário otimista para 2013, já que os índices de confiança, a taxa de desemprego e as encomendas das fábricas apontam para a recuperação da indústria do País. Os dados foram divulgados pelo Ministério na manhã de hoje (07/02), e desconsideram os impactos sazonais.

De forma oposta, a produção industrial da Espanha encolheu 6,9% em 2012, já expurgados os efeitos sazonais, de acordo com os dados divulgados nesta quinta-feira (07/02) pelo Instituto Nacional de Estatística (INE, sigla em espanhol), superando as estimativas do mercado, que indicavam queda de 6,6%.

Relatório divulgado em 04/02/2013

IPCA (%)

5,49

5,67

5,68

(5)

IGP-DI (%)

5,37

5,19

5,16

(3)

IGP-M (%)

5,31

5,26

5,09

(3)

IPC-Fipe (%)

4,88

4,96

5,07

(3)

Taxa de Câmbio – fim de período (R$/US$)

2,08

2,07

2,05

(2)

Taxa de Câmbio – média do período(R$/US$)

2,07

2,05

2,03

(2)

Meta da Taxa Selic – fim de período (%aa)

7,25

7,25

7,25

=

(12)

Meta da Taxa Selic – média do período (%aa)

7,25

7,25

7,25

=

(12)

Dívida Líquida do Setor Público(% do PIB)

34,00

34,00

34,00

=

(18)

PIB (% do crescimento)

3,26

3,10

3,10

=

(1)

Produção Industrial (% do crescimento)

3,00

3,00

3,17

(1)

Conta Corrente (US$ bilhões)

-62,10

-61,96

-62,65

(1)

Balança Comercial (US$ bilhões)

15,00

16,75

15,50

(1)

Invest. Estrangeiro Direto (US$ bilhões)

60,00

60,00

60,00

=

(8)

Preços Administrados (%)

3,30

3,20

3,25

(1)

*comportamento dos indicadores desde o último Relatório de Mercado; os valores entre parênteses expressam o número de semanas em que vem ocorrendo o último comportamento ( aumento, diminuição ou = estabilidade)

Fonte: Banco Central do Brasil – Relatório de Mercado/Focus.

O Boletim Focus é uma pesquisa realizada pelo Banco Central do Brasil com as principais instituições financeiras do País. Todas as estimativas ali apresentadas devem ser examinadas com bastante cautela, pois não significam compromisso do BACEN nem expressam a opinião da FIESP/CIESP.

Elaboração FIESP/CIESP
Com exceção dos indicadores marcados com *, os dados de 2005 a 2007 foram revisados pelo IBGE.

 

Copyright © 2011 Fiesp. Todos os direitos reservados.

Dúvidas e sugestões, clique aqui.

Se você não deseja mais receber esse informativo, clique aqui.

Macro Visão é uma publicação da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) e
do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP)

Av. Paulista, 1313 – 5º andar – Cep 01311-923 – Tel.: 11 3549-4316
Diretor Titular do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos: Paulo Francini

Especial STUM: Você está fugindo do quê?

Passamos pela fatídica data de 21 de Dezembro de 2012 sem contratempos ou transtornos; todas as profecias que nos falavam de catástrofes de todo tipo ficaram obsoletas e a vida continua aparentemente como antes: temos de trabalhar ou estudar (muitas vezes as duas coisas juntas), cuidar da saúde, da educação dos filhos e de todas as tarefas que dizem respeito à nossa passagem pelo planeta azul… e as condições de vida atuais deixam muito a desejar. Violência, corrupção, poluição, injustiça social, intolerância, medo, desesperança, isolamento, desrespeito…
Quem mora na cidade grande, e tem condições para viajar, anseia impacientemente que o fim de semana chegue logo para finalmente poder desfrutar um merecido descanso na praia -ou no campo- para ele e sua família… descanso?
Sair da cidade tornou-se quase sempre tarefa das mais estressantes e cansativas, pois a quantidade de seres humanos que enfrentam a estrada é cada vez maior e onde quer que vão encontrarão engarrafamentos, dificuldade em estacionar, praias superlotadas, preços abusivos, lixo acumulado e muitas vezes condições atmosféricas em nada animadoras, sem contar os muitos acidentes de trânsito e suas consequências funestas. Um verdadeiro purgatório.
O que será que provoca este êxodo quase incontrolável, esta mobilização coletiva que resulta frequentemente em frustração completa? Por que deixamos nosso lar, que deveria ser nosso santuário, e ficamos horas a fio presos com o motor ligado no meio de um congestionamento, sob o sol escaldante… estamos fugindo de quê? De que vale se deslocar de um lugar para outro carregando junto o vazio interior, a angústia, a solidão, ainda que estejamos acompanhados de familiares ou amigos?
Provavelmente, estamos tentando fugir de nós mesmos, talvez prisioneiros de um trabalho que não é “o nosso”, que visa exclusivamente valores materiais e o lucro a qualquer custo, mas que não agrega conhecimento e nem evolução da alma, nossa essência que ficou esquecida, largada numa pequena gaveta de nosso ser, lembrada somente nas horas da perda de um ente querido, de uma doença mais grave ou de um acidente aparentemente “casual” que nos tira do ar por algum tempo, obrigando-nos a interromper de vez aquele ritmo alucinado e fora de rumo. Nesta hora em que muitas vezes ficamos olhando horas e horas para o teto do quarto, sobra tempo para refletir, questionar a validade de nossa contribuição e de nosso foco principal, bem como a ética, a honestidade e a integridade da empresa.
Talvez estejamos esquecendo de nosso centro, aquele que permanece indissoluvelmente ligado à Fonte, ainda que fique tempo demais relegado a um lugarzinho escuro no meio do peito, na altura do coração. Coisas demais para fazer, a fim de manter o status, de adquirir os objetos que utilizamos (ou ostentamos), o carro que dirigimos, o celular superinteligente que sabe responder às nossas perguntas, ainda que seja em inglês. Ou para fazer aquela tão almejada viagem ao exterior, voltando cheios de mercadorias “da hora”, com o cartão de crédito em chamas, repletos de imagens exóticas para impressionar e matar de inveja nossos companheiros do Facebook.
Será que a vida se resume a isto? A um mero “faz de conta”?
Quase tudo isto é supérfluo, passageiro, não traz completude ou aquela profunda e sagrada sensação de felicidade. Talvez sirva mesmo para mostrar a quem vê que precisamos de ajuda, de transformação interior, de expandir a consciência, de acordar enfim do sono profundo no qual estamos imersos sem saber.
Já fui assim, vivi adormecido e distante da “verdade verdadeira” quase metade da minha vida, condicionado fortemente por valores que não me pertenciam, mas que aceitava como se não soubesse que sou o único dono de minha vida, de meu destino. Fui forçado a mudar pela dor, pela doença, olhando o teto… no entanto, não precisa ser assim, é normal e necessário que todos se libertem da ilusão e realizem no mínimo algo que valha a pena, lembrando sempre que podemos fazer da vida uma magnífica obra de arte. E todos receberão do Universo a ajuda necessária para tanto. Uma conspiração do bem.
A Transição planetária está avançando pontualmente com sua raiz de energia cristalina posicionando-se bem perto de nós, na fronteira sul entre Chile e Argentina, vindo a atingir sua força máxima na última semana deste mês de Fevereiro.
Os que já percebem o fluxo desta energia chegando encontram-se como que se preparando para a ação, serenos e pacientes, relaxando e meditando com frequência, evitando tarefas cansativas ou complexas, esperando que a energia se estabilize completamente e comece sua atuação bem definida, dando assim, de fato, início ao Novo Ciclo planetário.
Muitos aprenderam -ou estão aprendendo-, a navegar na quinta dimensão, onde tempo e espaço deixam de existir e a informação percorre os quatro cantos do Universo…
Com a Internet levando a mensagem da Luz instantaneamente a todos os interessados, a expansão da consciência torna-se cada vem mais ao nosso alcance, bastando querer, sendo suficiente um simples ato de nossa vontade, amparada suavemente pela vibração sutil da energia que está prestes a transbordar com a força de um vulcão, derramando Luz, Amor e conforto.
A informação preciosíssima tem um nome e está disponível à distância de um só clique do mouse. Canalizado pela Era de Cristal, vindo da “Consciência”, comentado pelos Irmãos amorosos das Plêiades, está à mão o manual para viver de acordo com os princípios do Novo Ciclo. Refiro-me ao Codex. As Leis Universais que libertam, amparam, esclarecem e pedem para perdoar, para lidar com a energia de maneira inteligente e consciente e que, ao serem incorporadas em nossos valores, transformam, iluminam, dão sentido à nossa existência, assim como ocorreu com a divulgação e a leitura de “As Cartas de Cristo”. Procure ler, entender, formar grupos de estudo, aprofundar o conhecimento destes dois pilares de sabedoria libertadores e profundos, que nos resgatam de tudo aquilo que durante séculos limitou nossa compreensão dos fatos da vida, manipulando e embotando nossa real essência, esmagando nossa potencialidade infinita e escondendo nossa divina linhagem.
Seja V. também um Mensageiro de Luz, um Buscador da Verdade, ou ainda um farol de Luz a iluminar a rota dos que estão fora de rumo, nossos Irmãos e Irmãs com os quais, cumprida nossa missão, voltaremos em júbilo à Fonte.
Finalmente.
Agradecemos a todos os amigos que colaboraram conosco com doações ao Site.
Para baixar sua versão do Codex, escolha: português, espanhol, italiano
Conheça o também Site da Era de Cristal. Agradecimentos especiais à Solange da Almenara Editora, que trouxe ao Brasil “As Cartas de Cristo”.
Namastê (o Deus que habita em mim saúda o Deus que existe em V.)
Sergio – STUM
Agradeço aqui os queridos e pacientes Guias e mais a turma toda que permite que o site exista: Rodolfo, Sandra, Teresa, Marcos, Anderson, Ian, Lidiane… e Você!
Participe, clique aqui e deixe seu comentário

 

LULA REZANDO… clip_image001

clip_image002

QUEM SERÁ QUE ESCREVEU ESSA PÉROLA?

clip_image003ORAÇÃO DO LULAclip_image004

SENHOR…

Fazei de mim o instrumento do golpe na Constituição…

para garantir mais uma reeleição.

Onde houver mutreta… que eu mostre a maleta;

Onde houver gorjeta… que seja minha teta;

Que eu tenha dor na munheca… de tanto encher a cueca;

Em cada licitação… que alguém molhe a minha mão;

E que no meu endereço, vença o meu preço;

Onde houver crachá… que não falte o jabá;

Onde houver ócio… que eu feche o negócio;

Onde houver propina… que reservem o da vila campesina;

Mas sem esquecer do MST, das ONGs e do PT;

Onde houver colarinho branco… que dobre o lucro do banco;

Onde houver esquema… cuidado com o telefonema;

E quando tocar o sino… chamem o Genoíno;

Se mexerem no meu… que venha o Zé Dirceu;

E, se a proposta for chula… lembrai do custo do Lula.

Ó Mestre!

Que eu tenha poder para corromper e ser corrompido;

Porque é sonegando que se é promovido;

É mentindo que se vai subindo;

Pois enquanto o povo sofre com imposto e inflação,

o índio passa o facão, o sem terra faz a invasão,

a base aliada entra na negociação

e a gente vai metendo a mão…

E que a pizza seja feita pela vossa vontade

enquanto a grana da publicidade

levar o povo a aceitar nossa desonestidade

como se fosse genialidade…

AMÉM !

clip_image005

É VERDADE QUE  MAÇ.’.  MATA ?

“Esta semana fui procurado por um jornal institucional. visando descobrir
“os segredos” e se realmente o demônio faz parte da Maçonaria. veio a
pergunta final: – É verdade que o Maçom mata?
Respirei fundo e respondi:
– SIM, É VERDADE, O LEGÍTIMO MAÇOM MATA!
Vocês precisavam ver o brilho nos olhos e o movimento de acomodação nas
cadeiras dos interlocutores. Continuei:
– O Maçom Alexander Fleming ao descobrir a penicilina matou e ainda mata
milhões de bactérias, mas permite a vida continue para muitos seres
humanos.
– O Maçom Charles Chaplin com a poderosa arma da interpretação e sem ser
ouvido, matou tanta tristeza, fez e ainda faz nascer o sorriso da criança
ao idoso.
– O Maçom Henri Dunant ao fundar a Cruz Vermelha matou muita dor e abandono
nos campos de guerra.
– O Maçom Wolfgang Amadeus Mozart em suas mais de 600 obras louvou a vida.
– O Maçom Antonio Bento foi um grande abolicionista que junto com outros
maçons, além da liberdade, permitiram a continuidade da vida a muitos
escravos.
– O Padre Feijó, o Frade Carmelita Arruda Câmara e o Bispo Azeredo
Coutinho, embasados nas Sagradas Escrituras e como legítimos maçons,
desenvolveram o trabalho sério de evangelização e quem sabe assim mataram
muitos demônios.
– O Maçom Baden Powell ao fundar o Escotismo pregava a morte da
deslealdade, da irresponsabilidade e do desrespeito.
– O Maçom Billy Graham foi o maior pregador Batista norte-americano e com
seu trabalho matou muita aflição e desespero.
O legítimo Maçom não é o homem que entrou para a Maçonaria, mas aquele
que a Maçonaria entrou dentro dele.
– Houve e há Maçons em todos os seguimentos da sociedade e todos com o
mesmo propósito; fazer nascer uma nova sociedade, mais justa e perfeita,
lógico sem esquecer que o MAÇOM MATA, principalmente o preconceito e os vicios.”

BARTOLOMEO

 

 

http://www.youtube.com/watch_popup?v=sKns1uatyNg&vq=medium

 

 

O filho termina o segundo grau e não tem vontade de fazer uma faculdade.A realidade Brasileira.
O pai, meio mão de ferro, dá um apertão:

– Ahh, não quer estudar? Bem, perfeito. Vadio dentro de casa eu não mantenho, então vai trabalhar…

O velho, que tem muitos amigos, fala com um deles, que fala com outro até que ele consegue uma audiência com um político que foi seu colega lá na época de muito tempo atrás:

– Rodriguez!!!! Meu velho amigo!!! Tu te lembra do meu filho? Pois é, terminou o segundo grau e anda meio à toa, não quer estudar. Será que tu não consegue nada pro rapaz não ficar em casa vagabundando?

Aos 3 dias, Rodriguez liga:

– Zé, já tenho. Assessor na Comissão de Saúde no Congresso, R$ 13.700,00 por mês, prá começar.

– Tu tá loco!!!!! O guri recém terminou o colégio, não vai querer estudar mais, consegue algo mais abaixo…

Dois dias depois:

– Zé, secretário de um deputado, salário modesto, R$ 9.800,00, tá bom assim?

– Nãooooo, Rodriguez, algo com um salário menor, eu quero que o guri tenha vontade de estudar depois….Consegue outra coisa.

– Zé, não sei se ele vai aceitar, mas tem um de assessor da câmara, que é só de R$.6.500,00…

– Não, não ainda é muito, aí que ele não estuda mais mesmo..

– Olha Zé, a única coisa que eu posso conseguir é um carguinho de ajudante de arquivo, alguma coisa de informática, mas aí o salário é uma merreca, R$ 3.800,00 por mês e nada mais….

– Rodriguez, isso não, por favor, alguma coisa de  600,00 a 1200 ,00 no máximo.

– Isso é impossível Zé!

– Mas, por quê?

– PORQUE com este salário aí eu só tenho vaga pra professor  ou Médico , e aí precisa de CURSO SUPERIOR, MESTRADO, DOUTORADO … aí é difícil porque precisa passar em concurso!

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s