Suco de Uvas


Suco de uva – Conheça mais de 30 benefícios – Local

Postado em Wednesday, July 13 @ 08:37:05 BRT por jessica

 

Local

O suco de uva contém mais calorias que o leite, uma certa analogia que pode ser levada mais longe; a composição do suco de uva mostra surpreendentes semelhanças com a do leite materno. é pois, um alimento privilegiado para os períodos de “reconstrução” da fadiga, da anemia, da convalescença.

O açúcar do suco de uva é composto por glicose e frutose, é diretamente assimilável, não exige nenhum esforço aos órgãos digestivos, é por tal razão aconselhável para a alimentação dos doentes atacados por febre.
Do ponto de vista terapêutico trata-se de um dos mais preciosos sucos. O suco de uva é estimulante das funções hepáticas, constituindo mesmo a base de remédios farmacêuticos para o fígado (esta função é desempenhada não apenas pelo suco, como também, pela uva e folhas de parreira).
Por ser alcalinizante (combate a acidez sanguínea), é indicado à pessoas intoxicadas pelo excesso do consumo de carne.
O suco de uva é um valioso estimulante digestivo pois acelera o metabolismo, eliminando de seu organismo o ácido úrico, causador da fadiga. Além disso, ele ajuda a restabelecer o equilíbrio ácido-alcalino do organismo, necessário para um fornecimento constante e prolongado de energia.
O tratamento com suco de uva é utilizado nas dietas de desintoxicação, pois:
melhora o estado da maior parte dos doentes;
regenera as células do fígado e dos rins;
purifica o sangue;
a ação laxativa poderosa, mas suave da uva, limpa o intestino de suas fermentações putrefativas;
é depurativo e renova o plasma do sangue.
A sua riqueza em vitaminas e sais minerais confere-lhe poder no combate a várias doenças, entre elas:
– Aperiente peitoral, anti- escorbútica, reumatismo, gota, artrite, hipertensão, prisão de ventre, anemia, hipercolesteroemia, depressão, eczema e hepatite. Além disso é diurética, tônica, reconstituinte, ativadora das funções intestinais, vitalizante, mineralizante, antiinflamatória, calmante e adstringente. Por seu alto teor em sais de ferro, o suco de uva é aconselhado no tratamento da anemia. Pelos inúmeros fermentos que contém, a uva favorece a mudança da flora bacteriana do intestino, sendo indicada nas perturbações grastrointestinais.
Beneficia todo o aparelho digestivo, combatendo a dispepsia, as flatulências, a atonia intestinal e as fermentações. Deve-se tomar vários copos ao dia para fins terapêuticos.
Alguns estudos indicam uma baixa incidência de câncer nas regiões da França onde a monodieta de uva é feita uma vez por ano.
Em casos de câncer, obesidade e/ou desintoxicação recomenda-se a dieta de uvas ou sob a forma de suco de uva durante três dias: no primeiro dia consome-se 1 kilo de uvas ou suco de uva. As frutas devem estar bem maduras e isentas de produtos tóxicos. Pode-se aumentar a quantidade até 3 kilos por dia, distribuída em 6 a 8 refeições ao dia. Esta dieta só poderá ser feita sob supervisão médica.
O suco de uva deve ser consumido isoladamente e não quando se consomem outros alimentos, para que se aproveitem todas as suas qualidades nutritivas.
Sob o aspecto nutricional, os principais constituintes do suco de uva são: água, açucares, ácidos orgânicos, sais minerais, vitaminas, substâncias nitrogenadas, compostos fenólicos e pectina.
Minerais
O que pode fazer por você: Eles são vitais para nossa saúde. Sem eles, o corpo não poderia atingir um estado normal de saúde. Os minerais geralmente funcionam em parceria com as vitaminas, ajudando-as a chegar mais depressa nos lugares onde são necessárias. As vitaminas também fazem o mesmo pelos minerais. Eles protegem as células e fazem dentes e ossos fortes e pele saudável. Eles tem papel importante na pressão sanguínea, no funcionamento perfeito do coração, na recuperação de ferimentos, nas funções musculares, no equilíbrio dos fluídos, no sistema reprodutor e muito mais. O álcool, o fumo, o cozimento de vegetais, carnes e comidas processadas, podem causar esta deficiência. A seguir, relacionamos os principais minerais encontrados no suco de uva e suas descrições.
Potássio
O suco de uva é rico em potássio, um sal mineral que reforça as reservas alcalinas do corpo, ao mesmo tempo que estimula o funcionamento dos rins e regula as batidas do coração. O potássio, juntamente com o sódio, regula a quantidade de água no organismo e transporta os nutrientes da corrente sanguínea para dentro da célula. Excesso de açúcar, diuréticos, laxativos, sal em excesso, álcool e stress podem tornar este precioso mineral deficitário. Após o consumo de suco de uva, a excreção da urina, atinge, muitas vezes, o volume superior à quantidade ingerida. Os sais de potássio, em geral são citados como a causa desse fenômeno.
Ferro
O ferro é essencial à vida. Produz hemoglobina, a mioglobina e certas enzimas. O ferro ajuda no crescimento, previne a fadiga e defende o organismo contra doenças. O ferro é o mineral que ajuda a vitamina B a ser mais bem aproveitada pelo organismo.
Magnésio
O magnésio tem a propriedade de relaxar nervos e músculos. Conhecido como o mineral “anti-stress”, ele também influencia no relaxamento dos nervos. Ele converte o açúcar do sangue em energia. Este mineral auxilia nosso organismo a aproveitar a vitamina C, o cálcio, o fósforo, o sódio e o potássio de maneira eficiente. O magnésio ajuda a manter dentes sadios e dá alívio temporário à indigestão.
Cálcio
Este mineral é vital à nossa saúde. A falta de cálcio pode causar a redução na estatura, perda de dentes, dor nas costas, ossos porosos sujeitos a fraturas, agitação, depressão, hipertensão, insônia e palpitação. O cálcio mantém os dentes fortes e ajuda o corpo a utilizar o ferro. O stress, a falta de exercícios, os antibióticos, as aspirinas, os óleos minerais, o excesso de consumo de gorduras, além de outros fatores, podem causar a deficiência de cálcio no organismo.
Manganês
Ajuda a nutrir o sistema nervoso, o cérebro e a regular as funções musculares, é importante para o metabolismo de proteínas e lipídeos, à saúde dos nervos, do sistema imunológico e normalização do nível de açúcar no sangue.
Cobre
Converte o ferro em hemoglobina e é essencial ao aproveitamento da vitamina C pelo organismo, melhora as respostas imunológicas, a resistência ao estresse e as doenças de caráter crônico e/ou degenerativa.
Fósforo
É o segundo mineral mais importante no corpo, e está relacionado com o desenvolvimento do esqueleto, dos dentes, das funções renais, nervos e características genéticas. É importante para a regularidade do coração.
Zinco
Esse mineral essencial é necessário a todos. Ele é, o assim dizer, “a centelha da vida”, mantendo o corpo saudável. Auxilia na formação de insulina. Exerce fator normalizado sobre a próstata e é importante no desenvolvimento dos órgãos reprodutivos.
Sódio
Regula e mantém o equilíbrio hídrico no organismo. É fator importante na transmissão dos impulsos nervosos e relaxamento muscular. O sódio é também requerido para a absorção de glicose.
Lítio
Auxilia no tratamento da depressão.
Vitaminas
Uma dieta bem balanceada é composta de alimentos que contém vitaminas, que são essenciais e vitais para uma vida saudável. As vitaminas são substâncias indispensáveis ao metabolismo celular e ao crescimento, que devem ser fornecidas ao organismo e não produzem calorias. O suco de uva é rico em vitaminas , dentre elas, A, B1, B3,B6,C,ácido fólico e ácido pantotênico.
Vitamina A
É necessária à boa visão, poderoso antioxidante, previne doenças cardíacas, câncer de mama, pulmão, próstata e cólon. Torna a pele, dentes, cabelos e unhas saudáveis.
Tiamina (vitamina B1)
Transforma carboidratos em energia e é conhecida “a vitamina do humor”, em razão de seus efeitos benéficos no sistema nervoso e atitude mental positiva. Ela ajuda na digestão e crescimento. Sua deficiência está associada à fadiga precoce, perda de apetite, irritabilidade e falta de concentração.
Riboflavina (vitamina B2)
Estimula o crescimento, ajuda a manter a pele, unhas e cabelos viçosos, importante para o trabalho muscular durante a atividade física. Beneficia a visão e alivia o cansaço dos olhos.
Niacina (vitamina B3)
Atua na digestão e alivia as perturbações gastrintestinais. Previne e alivia enxaqueca. Melhora a circulação e reduz a pressão alta no sangue. Reduz o colesterol e triglicérides. Propicia uma pele de aspecto mais saudável.
Piridoxina (vitamina B6)
Além de importante para o sistema nervoso, atua no metabolismo protéico, favorecendo a formação da proteína muscular. Sua deficiência está associada à anemia, distúrbios nervosos e fraqueza muscular.
Acido Fólico (vitamina B9)
Necessário para síntese de hemáceas saudáveis, prevenindo a anemia. O organismo precisa do ácido fólico para o processo de recuperação de doenças e no funcionamento prefeito do trato intestinal.
Ácido Pantotênico (vitamina B5)
Protege as membranas contra infecções, é essencial para a produção de anticorpos, ajuda a síntese de colesterol e, ainda mantém a flora intestinal em bom estado.
Ácido Ascórbico (vitamina C)
Vitamina C, ou “vitamina protetora”, é essencial na proteção e formação das células. Ela ajuda o organismo a resistir à infecções. É importante na recuperação de doenças, necessário na formação de dentes e gengivas fortes. Essa vitamina contribui para a absorção de fero pelo organismo, oferece proteção contra agentes cancerígenos e ajuda no tratamento e prevenção do resfriado. Reduz a pressão arterial.
Aminoácidos
Os aminoácidos são elos da corrente de proteínas. São essenciais à saúde porque ajudam a formar, recuperar, renovar e prover fontes de energia. Se algum aminoácido essencial está deficitário ou ausente, todos os outros vão se tornar deficientes e deverão ser repostos através de alimentação e complementos. À seguir, relacionamos os principais aminoácidos encontrados no suco de uva.
Ácido Glutâmico
Acredita-se que aproximadamente a metade da composição de aminoácidos do cérebro é composta de ácido glutâmico, “o combustível do cérebro”.
Alanina
Mantém constantes os níveis d glicose no sangue. É indicada nos casos de hiperglicemia. Importante no aumento dos linfócitos e na imunidade. Desempenha papel significativo na prevenção de cálculos renais.
Arginina
Melhora o sistema imunológico, aumenta espermatogênese, melhora a fadiga física e mental, promove a baixa de colesterol, inibidora do crescimento do câncer, tem ação antiesclerótica.
L-Glutamina
Melhora o comportamento de doenças psiquiátricas, melhora a capacidade de aprendizagem e de memorização, é usada no tratamento de úlceras gástricas, é importante no tratamento ao alcoolismo, fadiga, senilidade e compulsão por doces.
Observação: Se você tem problemas de diabete, hiperglicemia, hiperglicemia ou qualquer outro problema de açúcar no sangue, deve consultar seu nutricionista para estabelecer quantidades a serem ingeridas de suco de uva.
Suco de uva
Ingredientes:
1/2 litro de água filtrada
2 colheres (sopa) de mel
40 uvas niágara
solução de hipoclorito
Modo de Preparo:
Lave 40 uvas niágara sob água corrente e coloque-as em solução de hipoclorito, seguindo as orientações do fabricante. Escorra a água e bata as uvas no liquidificador com 1/2 litro de água filtrada ou mineral e 2 colheres (sopa) de mel, até ficar homogêneo. Coe a mistura, espremendo bem o bagaço. Despeje em 2 copos e sirva.
Matéria: Jéssica Machado
Fonte: FAURGS ( Faculdade de Agronomia da Universidade do Rio Grande do Sul)

Septem Regum Sanctorum – A Cerimônia dos Sete Reis Sagrados

Ritual XXVIII

(Probacionistas, que são ociosos ou luxuriosos, lhes devem ser dada uma tarefa adequada à suas naturezas. Se eles recusarem a tarefa por preguiça ou por um sentimento de que eles têm negócios mais importantes (como seus Neófitos podem julgar) então deve V.V.V.V.V. 8=3 por si próprio informar então com muita deferência que eles estão agora ajustados para admissão ao Mistério dos Sete Reis Sagrados).

(O Templo está arrumado conforme mostra a ilustração [faltando aqui])

O Deus do primeiro trono tem robes Azul Profundo;
segundo – Violeta;
3º – Escarlate;
4º – Alaranjado;
5º – Verde;
6º – Amarelo Pálido;
7º – Azul Claro.

Os outros oficiantes são o Hegemon, vestido de branco & mascarado em branco, e em sua mão está o Bastão da Fênix dos Planetas, & o Hiereus, vestido de preto & mascarado em preto, e em sua mão estão o Açoite & Cajado.

O Candidato, bem nutrido & alegre, vestido com o Robe de um Probacionista, & coroado com folhas de loureiro, é conduzido pelo Hegemon (seu Neófito) pelo Corredor. Levado ao Altar, onde queima uma pequena fogueira de madeira perfumada, cedro ou sândalo ou ligri aloés, ele é feito a se ajoelhar ali, & o oficiante Negro vem adiante, ameaçando-no com seu açoite & diz:

H: Quem és Tu?

Hg., para o Candidato: Eu sou o Aspirante à Sagrada & Sublime Ordem da A.’.A.’. & eu procuro a ajuda de Osíris.

(nota: Esta cerimônia pode ser adaptada para ser executada por dois oficiantes, o Hegemon assumindo a cada hora um manto de diferente cor, & a apropriada forma-deus. Mas é mais desejável que todo o complemento dos Nove possam assistir.)

“Saudações à ti, Osíris, Triunfante, Senhor de Ammenta, Senhor de Enenet! Saudações à ti, todo glorioso sol de misericórdia & justiça, em cuja cabeça está a coroa dourada de luz que é invisível para os homens! Saudações à ti, saudações à ti, límpida luz em nossa escuridão! Saudações à ti através de quem sozinho (…) pode chegar à Fraternidade Imortal. Digna-se a guiar este Aspirante no estreito caminho, & não deixeis que ele caia no caminho daqueles que erram.”

(Não há resposta) “Deixe-nos subir, & procure Osíris.” (Então vem o Primeiro Trono)

Saturno

“Boas vindas, boas vindas, boas vindas, para tu que foste escolhido, tu que tens aspirado à Fraternidade Imortal. Aspiração é Força, & eu dou-lhe de minha generosidade: Paz & plenitude & contentamento & boa saúde & lentidão dos dias. Todos estes prêmios tu ganhaste pela virtude da simples aspiração. Mas acautele-se com a sombra negra ao meu lado, pois ela deverá colocar gelo contra seu coração; ela deverá contrair todo vosso ser; ele deverá trazer-te &pobreza & velhice prematura se tu a olhares demais para sua face. Coloque então sua cabeça em meus joelhos, e eu deverei colocar minhas mãos em sua cabeça,& abençoar-te com minhas bênçãos.”

(Ele se vai)

“Bem vindo foste tu, & tu deverás ser bem vindo aos meus irmãos. Tu continuas.” (Eles alcançaram o Segundo Trono)

Júpiter

“Boas vindas, boas vindas, boas vindas, para tu que foste escolhido, tu que tens aspirado à Fraternidade Imortal. Aspiração é Força, & eu dou-lhe de minha generosidade: Autoridade & respeito dos homens & distinção & louvor & veneração. Todos estes prêmios tu ganhaste pela virtude da simples aspiração. Mas acautele-se com a sombra negra ao meu lado, pois ela deverá arremessar-te abaixo, & tu deverás ser desprezado por todos os homens & seu poder deverá ser quebrado se tu olhares demais para sua face. Coloque então sua cabeça em meus joelhos, e eu deverei colocar minhas mãos em sua cabeça, & abençoar-te com minhas bênçãos.”

(Ele se vai)

“Bem vindo foste tu, & tu deverás ser bem vindo aos meus irmãos. Tu continuas.” (Eles alcançaram o Terceiro Trono)

Marte

“Boas vindas, boas vindas, boas vindas, para tu que foste escolhido, tu que tens aspirado à Fraternidade Imortal. Aspiração é Força, & eu dou-lhe de minha generosidade: Coragem & energia & força & conquista & domínio. Todos estes prêmios tu ganhaste pela virtude da simples aspiração. Mas acautele-se com a sombra negra ao meu lado, pois ela deverá queimar-te como se com fogo & tudo o que tu tens tu deverá perder. E em suas batalhas tu deverás ser submetido, & tu deverás ser quebrado & triturado no vento se tu olhares demais para sua face. Coloque então sua cabeça em meus joelhos, e eu deverei colocar minhas mãos em sua cabeça, & abençoar-te com minhas bênçãos.”

(Ele se vai)

“Bem vindo foste tu, & tu deverás ser bem vindo aos meus irmãos. Tu continuas.” (Eles alcançaram o Quarto Trono)

Sol

“Boas vindas, boas vindas, boas vindas, para tu que foste escolhido, tu que tens aspirado à Fraternidade Imortal. Aspiração é Força, & eu dou-lhe de minha generosidade: Fama & jovialidade & uma vida digna & aberta; glória & harmonia deverão ser seus servidores, & vitória deverá esperar por ti como uma criada. Todos estes prêmios tu ganhaste pela virtude da simples aspiração. Mas acautele-se com a sombra negra ao meu lado, pois ela deverá tirar-te da vida entre os homens e, então que tu se esconderás em esconderijos & cavernas longe da luz, & teu nome deverá ser perdido, & tu deverás repentinamente ser assassinado se tu olhares demais para sua face. Coloque então sua cabeça em meus joelhos, e eu deverei colocar minhas mãos em sua cabeça, & abençoar-te com minhas bênçãos.”

(Ele se vai)

“Bem vindo foste tu, & tu deverás ser bem vindo aos meus irmãos. Tu continuas.” (Eles alcançaram o Quinto Trono)

Vênus

“Boas vindas, boas vindas, boas vindas, para tu que foste escolhido, tu que tens aspirado à Fraternidade Imortal. Aspiração é Força, & eu dou-lhe de minha generosidade: Amor & beleza & verdadeira felicidade, facilidade & abundância. Todos estes prêmios tu ganhaste pela virtude da simples aspiração. Mas acautele-se com a sombra negra ao meu lado, pois ela deverá destruir o amor em ti, & toda sua beleza deverá ser amaldiçoada, & nenhuma palavra de agrado deverás tu escutar novamente se tu olhares demais para sua face. Coloque então sua cabeça em meus joelhos, e eu deverei colocar minhas mãos em sua cabeça, & abençoar-te com minhas bênçãos.”

(Ele se vai)

“Bem vindo foste tu, & tu deverás ser bem vindo aos meus irmãos. Tu continuas.” (Eles alcançaram o Sexto Trono)

Mercúrio

“Boas vindas, boas vindas, boas vindas, para tu que foste escolhido, tu que tens aspirado à Fraternidade Imortal. Aspiração é Força, & eu dou-lhe de minha generosidade: Aprendizado & eloqüência & o poder de curar os males dos homens. Todos estes prêmios tu ganhaste pela virtude da simples aspiração. Mas acautele-se com a sombra negra ao meu lado, pois um ladrão deverá vir a ti & roubar-te; tu não terás mais conhecimento, & com um mal seu corpo deverá dissolver-se se tu olhares demais para sua face. Coloque então sua cabeça em meus joelhos, e eu deverei colocar minhas mãos em sua cabeça, & abençoar-te com minhas bênçãos.”

(Ele se vai)

“Bem vindo foste tu, & tu deverás ser bem vindo aos meus irmãos. Tu continuas.” (Eles alcançaram o Sétimo Trono)

Lua

“Boas vindas, boas vindas, boas vindas, para tu que foste escolhido, tu que tens aspirado à Fraternidade Imortal. Aspiração é Força, & eu dou-lhe de minha generosidade: Pureza & claridade de visão & todas as colheitas do deleite. Todos estes prêmios tu ganhaste pela virtude da simples aspiração. Mas acautele-se com a sombra negra ao meu lado, pois ela deverá escurecer vossos olhos, & tu deverás se perder no caminho, & tu deverás resfriar-se, & tu deverás repentinamente ser assassinado se tu olhares demais para sua face. Coloque então sua cabeça em meus joelhos, e eu deverei colocar minhas mãos em sua cabeça, & abençoarte com minhas bênçãos.”

(Ele se vai)

“Bem vindo foste tu, & tu deverás ser bem vindo aos meus irmãos; tu fizeste, mas levante sua mão em aspiração à Fraternidade Imortal, & tu tendes arrastado os sete coros da harpa celestial. Tu continuas.”

Eles voltam, não ao altar, mas à pequena porta do templo, dentro de que está um calabouço escuro.

O Hegemon empurra-o furiosamente dentro do calabouço com mãos e pés. Todos gritam alto: “Osíris é um deus negro.”

Lá ele deve ficar por sete horas.

(Se em qualquer ponto prévio do ritual ele deveria dizer:

“Eu não pedi essas bênçãos, eu procuro Osíris. O que disse aquele silêncio, oh negro?” ou palavras de similar propósito, o Hegemon responde, removendo a venda dos olhos de uma vez por todas, “Verdadeiramente, tu disseste bem; sabes que Osíris é um deus negro, & o estreito caminho para a Sagrada & Sublime Ordem não jaz através de verdes pastos & águas tranqüilas. Mas no Vale da Sombra da Morte, seu açoite e cajado deverão avaliar-te.

“Leve-os então & dobre seus braços em seus peitos; ascenda comigo os sete degraus do Trono.”

O Aspirante então faz assim, levantado em meio aos oficiantes. O Quarto Trono é removido para liberar a passagem. Os sete reis tumultuam-no & atacam-no com suas armas; mas ele faz seu caminho & eles caem um por um; o Sétimo rei no Segundo degrau, o Sexto no Terceiro, o Quinto no Quarto, o Quarto no Quinto, o Terceiro no Sexto, o Segundo no Sétimo & o Primeiro no Pé do Trono.

O Aspirante passa acima de seus corpos & toma seu assento. Eles então, cada um de seu lugar, adoram-no enquanto os dois oficiantes ajudam-no em cada lado, & o Hierofante dirige-se a ele:

“Frater ________, esse dia eu simbolicamente coloquei-o no assento de um irmão da A.·.A.·.. Veja nisto que sua vida reflete verdadeiramente esta conquista gradual dos Modelos dos Sete, & nunca esqueça que teu caminho é o caminho de Osíris, – & que Osíris é um deus negro.”

(Então eles conduzem-no do Templo)

(Depois que as sete horas se passam, o Aspirante é resgatado por Osíris, o oficiante negro, nas palavras já dadas, omitindo “Verdadeiramente tu disseste bem” & usando um tom severo para o começo da fala. A cerimônia então procede como antes.)


Fonte:

Traduzido por Soror Nanay

 

 

 

O SANTO GRAAL

Santo Graal ( ou Sangraal ) é uma expressão medieval que designa normalmente o cálice usado por Jesus Cristo na Última Ceia. Ele está presente nas lendas arturianas, sendo o objetivo da busca dos cavaleiros da Távola Redonda, único objeto com capacidade para devolver a paz ao reino de Artur. No entanto, em outra interpretação, ele designa a descendência de Jesus ( o sangraal ou sangue real ), segundo a lenda, ligada à dinastia Merovíngia. Finalmente, também há uma interpretação em que ele é a representação do corpo de Maria Madalena, a suposta esposa de Jesus e sua herdeira na condução da nova religião.

O SIMBOLISMO DO GRAAL

O símbolo do cálice sagrado, enquanto motivo de poder e fonte de milagres, é tão antigo quanto a História. O SANTO GRAAL teve múltiplos precursores e apareceu sob variadas formas antes de ter sido identificado com o cálice do ritual usado na missa católica. Muitas vezes o GRAAL foi descrito não como um cálice, mas como uma pedra. Neste sentido o símbolo é profundamente alquímico, ou seja – a conciliação dos opostos mediante a harmonia entre o céu e a terra. A etimologia da palavra Graal é controvertida. Costuma-se considerá-la como oriunda do latim “gradais” – cálice. Outros dizem que “Graal” vem de outra palavra latina – ‘graduale’ que significa ‘gradual” um livro de orações e cânticos místicos.
Os celtas se referiam ao Graal como um caldeirão e a lenda em torno de um cálice sagrado pode ter relação com a importância que os celtas davam ao caldeirão, onde os druidas preparavam suas poções mágicas.
Esse conceito popular lembrava-lhes abundância e renascimento. Muitos personagens míticos dos celtas estavam envolvidos com esse símbolo: Nasciens, foi transportado por mãos invisíveis para uma ilha onde lhe apareceu um caldeirão mágico; Dagda fortalecia os guerreiros com o alimento do caldeirão. Outro caldeirão célebre foi o pertencente à deusa Caridween, que preparou uma poção para infundir sabedoria em seu filho.
Os recipientes, como a taça, o caldeirão e os vasos, são símbolos do útero, a matriz da vida e a espada o órgão masculino fecundador. É no vazio que acontece o ciclo permanente de nascimento, morte e renascimento. Os cálices são oferendas ao espírito desconhecido que preside determinado tempo e local, uma oração que se eleva a Deus, pedindo que seu Espírito desça à terra. Este é o significado sagrado da missa católica: dois movimentos de direções opostas – o cálice voltado para o céu e o espírito projetando-se sobre ele – formam o ciclo de dar e receber, o eixo entre o superior e o inferior.

A LENDA ORIGINAL

Antes do século VII, a tradição e a Bíblia propiciaram o desenvolvimento de uma lenda intrigante sobre o cálice sagrado. Diz essa lenda que, antes da criação do homem, houve uma grande batalha no céu. O Arcanjo Miguel e seus anjos guerrearam contra Lúcifer. O adversário e seus anjos combateram ferozmente, diz a Bíblia; “todavia não venceram, nem acharam mais seu lugar no céu. E a antiga serpente, o Grande Dragão chamado demônio ou satanás foi expulso de lá sendo atirado para a terra com seus anjos”. Diz a lenda que Lúcifer trazia um pedra colada na testa, uma esmeralda que funcionava como um terceiro olho. Quando Lúcifer foi atirado pelo Arcanjo Miguel à terra, a esmeralda partiu-se e sua visão ficou prejudicada. Um pedaço permaneceu em sua testa dando-lhe uma visão distorcida de sua situação como anjo caído; o outro fragmento foi guardado pelos anjos. Mais tarde, o Graal foi esculpido neste segundo pedaço.

AS LENDAS DO CÁLICE SAGRADO

Parece que durante sua presença na terra, o GRAAL necessitou de um abrigo e, dado ao seu caráter espiritual, essa habitação deveria ser um templo especialmente projetado para esse fim e oculto da visão dos profanos.
Mesmo se encararmos o GRAAL como um tema pertencente aos planos inexplorados da alma, restam-nos alguns enigmas históricos relacionados com a figura de Jesus Cristo, José de Arimatéia, o Rei Arthur e, mais tarde, com os estranhos acontecimentos que marcaram a vida e agonia dos Cátaros na região do Languedoc, no sul da França.
Esses episódios, custaram a vida de milhares de pessoas e permanecem até hoje como indicadores da provável existência física de um Rei e Sacerdote do Santo Graal. Seria esse o Rei, eterno e onipresente Sacerdote da Távola Redonda, uma versão medieval inglesa relacionada à mesa da Última Ceia, sob a proteção de Arthur ? Ou seria essa Mesa Redonda uma forma de os místicos simbolizarem os círculos do infinito celeste e a egrégora da Grande Fraternidade Branca?
Conta uma antiga lenda cristã, que José de Arimatéia teria recolhido no cálice, usado na Última Ceia, o sangue que jorrou de Cristo quando ele recebeu o golpe de misericórdia, dado pelo soldado romano Longinus, usando uma lança, depois da crucificação.
Em outra versão, teria sido a própria Maria Madalena, segundo a Bíblia a única mulher além de Maria (a mãe de Jesus) presente na crucificação de Jesus, que teria ficado com a guarda do cálice e o teria levado para a França, onde passou o resto de sua vida.
A lenda tornou-se popular na Europa nos séculos XII e XIII por meio dos romances de Chrétien de Troyes, particularmente através do livro “Le Conte du Graal” publicado por volta de 1190, e que conta a busca de Sir Percival pelo cálice.
Mais tarde, o poeta francês Robert de Boron publicou Roman de L’Estoire du Graal, escrito entre 1200 e 1210, e que tornou-se a versão mais popular da história, e já tem todos os elementos da lenda como a conhecemos hoje.
Finalmente, o poeta Wolfram von Eschenbach criou a mais inventiva e surpreendente versão para a história do Graal, em sua obra “Parsifal”, escrita entre os anos de 1210 e 1220. Ele supõe o Graal anterior a Cristo. O Graal teria sido, não um cálice, mas uma pedra enviada a Terra há muito tempo atrás por espíritos celestiais. O Graal teria sido guardado por uma misteriosa irmandade de cavaleiros, chamados templáisen.
Na literatura medieval, a procura do Graal representava a tentativa por parte do cavaleiro de alcançar a perfeição. Em torno dele criou-se um complexo conjunto de histórias relacionadas com o reinado de Artur na Inglaterra, e da busca que os cavaleiros da Távola Redonda fizeram para obtê-lo e devolver a paz ao reino. Nas histórias misturam-se elementos cristãos e pagãos relacionados com a cultura celta.
Segundo algumas histórias, o Santo Graal teria ficado sob a tutela da Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão, também conhecida como Ordem do Templo, ou simplesmente “Templários”. Instituição militar-religiosa criada para defender as conquistas nas Cruzadas e os peregrinos na Terra Santa. Alguns associam os templários a irmandade que Wolfram cita em “Parsifal”.
Segundo uma das versões da lenda, os templários teriam levado o cálice para a aldeia francesa de Rennes-Le-Château. Em outra versão, o cálice teria sido levado de Constantinopla para Troyes, na França, onde ele desapareceu durante a Revolução francesa.
Os cátaros, acreditavam que este mundo é o verdadeiro inferno; que a encarnação do Espírito do Cristo foi o verdadeiro sacrifício simbolizado na cruz do calvário. A Igreja Romana via o catarismo como um movimento reformista. No início do século XIII uma armada de cavaleiros do norte desceu pelo Languedoc para exterminar a heresia cátara e requisitar para si os ricos espólios da região.
Conta-se que durante o assalto das tropas às fortalezas albigenses, apareceu no alto da muralha uma figura coberta por uma armadura branca. Os soldados recuaram, temendo ser um guardião do Santo Graal. Mas, prevendo a derrota, os cátaros, ocultaram o Santo Graal num dos numerosos subterrâneos onde estaria até hoje.
Nesse contexto histórico poderiam ser explicados os mistérios do Messias e as verdades que a Igreja proibiu sobre a “dinastia do cálice”, a matança dos cátaros, as cruzadas e a história do abade Berenger Saunière em Rennes-le-Château, no Languedoc.

A DINASTIA MEROVINGIA

Segundo algumas lendas, a descendência de Jesus era de sangue real, ele próprio herdeiro do trono de Jerusalém por ser descendente do Rei Davi, e migrou para a Europa, particularmente para a França e fundou a dinastia merovíngia, cuja posição, mais tarde, foi usurpada pelos carolíngios e pela Igreja Católica. Neste caso, o sangraal ou sangue real seria a própria descendência de Jesus, os merovíngios.
Os merovíngios se diziam descendentes de reis de Tróia, e isto justifica tantas localidades na França que possuem um nome que lembra Tróia, inclusive a cidade natal de Chrétien de Troyes, autor das primeiras histórias sobre o Graal.
Histórias revelam a existência de uma sociedade secreta, chamada Priorado de Sião, que se dedica a defender a descendência Merovíngia e seu direito ao trono na Europa. Segundo algumas fontes, o Priorado do Sião justifica este direito pela descendência direta de Jesus e do Rei Davi.
.

MARIA MADALENA

Além destas lendas, existem também outras histórias paralelas, como a que conta que o Santo Graal, na verdade, é o corpo de Maria Madalena.
Ela seria a esposa de Cristo e deveria ser a herdeira da nova religião.
A história também diz que junto ao cadáver desta, estariam preciosos pergaminhos e documentos escritos pelos apóstolos de Jesus e pelo próprio Cristo. Tais pergaminhos segundo a lenda, são extremamente contraditórios com a Bíblia e portanto um verdadeiro tesouro sobre o legado de Cristo na Terra.
Em 1948, na localidade de Nag Hammadi, foram encontrados pergaminhos que continham evangelhos apócrifos, e cujo conjunto de textos foi chamado de biblioteca de Nag Hammadi.
As cópias destes evangelhos supunham-se perdidas, pois haviam sido proibidas e queimadas pela Igreja após o concílio de Nicéia.
Entre estes documentos antigos encontra-se o “Evangelho de Maria Madalena”, que apresenta inconsistências com os quatro evangelhos aceitos pela Igreja. Um dos pontos é que entre os seus discípulos, Maria Madalena é a preferida, e é ela que transmite os ensinamentos de Jesus aos outros.
Em outro documento da biblioteca de Nag Hammadi, o “Evangelho de Filipe”, faz-se referência ao fato que Jesus a ama mais que aos outros discípulos e a beija com frequência.
Tudo isto fortalece a hipótese do casamento entre ambos, e que seja Maria Madalena e sua descendência os verdadeiros herdeiros da religião fundada por Jesus.
Um grande argumento em favor desta união, é a de que era impensável que um judeu, naquela época, chegasse aos 30 anos sem estar casado.

A BUSCA DO GRAAL

Do ponto de vista místico, a busca do Graal representa a busca por uma vida superior, por progresso espiritual. Nas lendas arturianas, só é possivel às pessoas de coração puro e isentas de pecado ver e tocar o cálice.
Para o iniciado, o caminho do GRAAL está indissoluvelmente unido à idéia de um sacrifício e de uma viagem cheia de perigos para alcançar a iluminação, o renascimento ou a “vida eterna” segundo os cristãos. O início e o final da Busca do SANTO GRAAL são, por isso mesmo, momentos cruciais, pois é uma busca que não termina. O GRAAL tem que ser constantemente buscado no coração, na mente e no espírito; sua revelação final representa aquele ideal de subida aos planos superiores de existência, objetivo máximo de todos os místicos. Ao entrar em comunhão consigo mesmo, o místico descobre não uma melancolia – a cor negra, “nigredo” para os alquimistas – mas um parceiro interno, uma relação que se assemelha à alegria de um amor secreto. Este estágio da vida iniciática é representado pela primavera oculta, onde as sementes brotam da terra nua, trazendo as promessas de futuras colheitas.
Non Nobis Domine, Non Nobis, Sed Nomini Tuo, da Gloriam!
( Não por nós Senhor, não por nós, mas para a glória de Teu nome! )

Carlos Roberto ( Amon Sol )

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s