Cérebro Melhor

SEGUNDA-FEIRA, 9 DE SETEMBRO DE 2013

Grandes descobertas da neurociência

Grandes descobertas da neurociênciaO cérebro humano é um órgão extremamente complexo e, apesar de ser um objeto de estudos desde o Egito antigo, cientistas afirmam que na última década foi descoberto mais coisas sobre o cérebro do que em todas as décadas anteriores. Mesmo com esse grande avanço na ciência, ainda há muitos mistérios sobre o cérebro a serem desvendados, o que com certeza manterá os neurocientistas ocupados por muitas outras décadas.

Para entender essa evolução da neurociência, destacamos algumas das grandes descobertas dos últimos tempos. Por exemplo, você sabia que os neurônios só foram descobertos por volta de 1890? Que a doença de Alzheimer foi primeiro descrita em 1906? E que a região do cérebro responsável pela fala foi identificada por volta de 1860, porém a responsável pela memória só quase um século depois?

O neurônio

Por volta de 1870, um cientista chamado Goldi desenvolveu uma forma de tingir o cérebro que permitiu que fossem visto pela primeira vez os tecidos e células individuais do cérebro. Mas ainda não se sabia se o cérebro era composto de células nervosas individuais ou de um tipo de tecido contínuo. Após vários anos de pesquisa, ficou provado que a estrutura básica do sistema nervoso era composta de células individuais, as quais foram batizadas de “neurônios” em 1891.

O lugar da linguagem

O paciente só conseguia falar uma única sílaba e faleceu alguns dias depois que o cirurgião francês Paul Broca o conheceu por volta de 1860. Quando o cirurgião analisou o cérebro do paciente, encontrou uma lesão na superfície do lóbo frontal esquerdo. Tempos depois, Broca conheceu um segundo paciente com problemas de fala que, após a morte, tinha o mesmo tipo de lesão cerebral; assim como muitos e muitos pacientes depois dele. O cirurgião documentou esses casos e estabeleceu a conexão entre a fala e essa região do cérebro. Esse trabalho marcou a primeira vez que certas regiões do cérebro foram atribuídas a tarefas específicas, um preceito que serve de base para quase todos os trabalhos de neurociência atualmente.

A doença de Alzheimer

Na medida em que envelhecemos, aumentam os riscos de desenvolvermosdemência. Enquanto os cientistas ainda se esforçam para entender a demência, devemos aplaudir o trabalho de Alois Alzheimer, que em 1906 descreveu a doença que leva seu nome. O médico conheceu uma paciente num hospital alemão que estava sendo tratada por comportamento estranho, paranoia e problemas de memória. Ele entrevistou-a diversas vezes e depois estudou seu cérebro após a morte. Em 1906, ele fez uma apresentação descrevendo os sintomas desse tipo de demência e os ligou às placas e emaranhados que encontrou no cérebro da paciente. A descrição das características dessa doença pavimentou o caminho para os pesquisadores atualmente trabalhando na sua prevenção e tratamento.

Pistas sobre a memória

H.M. é um dos pacientes mais famosos de toda a neurociência e foi graças a ele que possuímos um entendimento de como a memória funciona no cérebro. O paciente H.M., assim chamado para manter sua privacidade, tinha um tipo severo de epilepsia e, em 1953, um cirurgião efetuou uma operação experimental para corrigir essa condição. A cirurgia, que removeu partes dos lóbos temporais do paciente, deixou H.M. com amnésia profunda; o jovem era incapaz de formar novas memórias ou de lembrar os nomes das pessoas que conhecia. Com a ajuda de uma psicóloga, foram aplicados vários testes de memória no paciente que resultaram em descobertas importantes.

Antes desse trabalho, cientistas achavam que as memórias eram distribuídas por todo o cérebro, mas o cirurgião e a psicóloga conseguiram ligar a amnésia de H.M. às partes do cérebro que foram removidas. Um dos testes também demonstrou como diferentes tipos de memória eram armazenados em diferentes partes do cérebro. Como H.M. podia aprender novas tarefas, cientistas concluíram que existia um sistema subconsciente de aprendizado motor que era distinto do sistema de memória declarativa, aquele que havia sido afetado pela cirurgia.

A plasticidade cerebral

Uma das mais recentes conquistas da neurociência é também uma das mais significativas, abrindo caminho para a próxima era da exploração cerebral. Durante séculos, cientistas achavam que o cérebro se tornava um objeto fixo, inalterável, após seu desenvolvimento inicial nos primeiros anos. Como se conseguíssemos moldar nosso cérebro somente até certa idade e depois, se acontecesse algo de errado, não haveria mais o que fazer. Mas nos últimos anos, pesquisadores descobriram o conceito da neuroplasticidade: evidências de que o nosso cérebro pode ser reconectado e ajustado em qualquer idade.

O conceito da neuroplasticidade tem implicações em educação e em tratamentos potenciais para distúrbios neurológicos. Um estudo intenso de um assunto, em qualquer idade, pode alterar a área do cérebro associada àquele assunto, como demonstrado no cérebro dos taxistas londrinosdurante o treinamento. E, também, um AVC não significa mais a perda irreversível da função cerebral, pois estudos recentes indicam que a estrutura do cérebro pode se ajustar para compensar uma função perdida.

Graças a essas descobertas, podemos hoje desfrutar de um programa de treinamento cerebral que utiliza exercícios cientificamente desenvolvidos para, através da neuroplasticidade, fortalecer as conexões dos neurônios nas regiões do cérebro responsáveis pela memória, linguagem, atenção, raciocínio lógico e visão espacial. Isso é o Cérebro Melhor. Experimente!

Postado por Cérebro Melhor às 17:47:42 em Científico (86) | Comentários (0)

SEXTA-FEIRA, 30 DE AGOSTO DE 2013

Ajustando os ponteiros do cérebro, na Terra e em Marte

Ajustando os ponteiros do cérebro, na Terra e em MarteOs humanos evoluíram para sobreviver em ciclos de dia e noite de 24 horas. Os nossos ritmos biológicos acompanham este ciclo, assim como os de todos os organismos sensíveis à luz no planeta, desde as bactérias. Este ritmo, conhecido como circadiano, é governado por uma estrutura no cérebro, como se fosse um relógio interno.

Este relógio interno é mais conhecido por determinar o ciclo de sono e vigília. Quando ele perde o sincronismo, como ocorre com alguns distúrbios do sono, diferença de fuso horário, ou mudança de turno de trabalho, o padrão do sono é quebrado, o que afeta o desempenho cognitivo e o funcionamento geral do corpo. Nota-se diferença no quanto comemos, como absorvemos remédios, como doenças se desenvolvem, entre outras coisas. Se isso já ocorre na Terra, onde nosso corpo está totalmente adaptado, como seria se morássemos em Marte, onde o dia é mais longo? Como fazer para ajustar o relógio do cérebro?

Nos seres humanos, a central de controle do sistema circadiano reside num pequeno conjunto de células nervosas localizadas logo atrás dos olhos. Essas células recebem informações sobre luminosidade diretamente da retina através do nervo ótico e depois envia sinais a outras partes do corpo, ajustando-as diariamente ao ciclo de claridade e escuridão.

O sincronismo entre nosso relógio interno e o ambiente externo é crítico porque nosso corpo faz coisas diferentes durante o dia e a noite. Por exemplo, através da evolução, o corpo humano se ajustou a processarcomida durante o dia, enquanto que o de um animal notívago está ajustado para se alimentar à noite. A ciência está aproveitando essas características do corpo para estudar a absorção de medicamentos a cada hora do dia e desenvolver tratamentos que capitalizam em cima desse ritmo diário.

Agora, o que aconteceria se um ser humano vivesse em Marte, onde o dia tem 24 horas e 39 minutos? Essa é uma linha de pesquisa na NASA e, por incrível que pareça, esses 39 minutos a mais podem influenciar muito o corpo humano.

Estudos anteriores descobriram que se colocarmos pessoas saudáveis num ambiente experimental que simula o dia marciano, com a intensidade de luz igual à da estação espacial internacional, o sistema circadiano perde o sincronismo. O resultado é sono quebrado, comprometimento cognitivo e problemas metabólicos, justamente o que não poderia acontecer com um astronauta há mais de 85 milhões de quilômetros de casa.

Como o relógio interno do cérebro é sensível à luz, um grupo de cientistas descobriu que é possível reprogramar o cérebro para um dia mais longo expondo as pessoas a pulsos de luz em horários determinados. Eles utilizaram dois pulsos de 45 minutos de duração de uma luz muito clara, com uma hora entre cada pulso no final do dia. A intensidade da luz era semelhante à do nascer ou por do sol. Ao final de 30 dias, essas pessoas tinham conseguido se adaptar ao dia marciano, demonstrando comportamento e funcionamento fisiológico normais.

Os pesquisadores esperam um dia conseguir oferecer um tratamento baseado em pulsos de luz que seriam disponibilizados em voos internacionais para ajudar os passageiros a se adaptar ao fuso horário, ou a trabalhadores que mudam de turno.

Como já foi dito em artigos anteriores do Cérebro Melhor, o sono é fundamental para o bom funcionamento do cérebro, auxiliando principalmente na aprendizagem. Mas, além do sono, outros fatores fundamentais para a saúde do cérebro são a alimentação balanceada, a socialização, os exercícios físicos, o controle do estresse e, é claro, os estímulos cognitivos, como os oferecidos pelos exercícios do Cérebro Melhor.

Fonte:
Gronfier, Wright, Kronauer e Czeisler, Entrainment of the human circadian pacemaker to longer-than-24-h days, Proceedings of the National Academy of Sciences of the USA, May 22, 2007, vol. 104, no. 21.

Postado por Cérebro Melhor às 12:56:47 em Científico (86) | Comentários (0)

QUARTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2013

Cresça na carreira protegendo seu cérebro

Cresça na carreira protegendo seu cérebroAté não muito tempo atrás, era comum pensar que o cérebro humano estava fadado a se deteriorar com o passar do tempo, e não havia muito que se fazer a respeito. Com o descobrimento daneuroplasticidade, vimos que o nosso cérebro muda e se adapta aos estímulos recebidos, assim como nossos músculos. A todo o momento, novos neurônios nascem no cérebro e onde eles ficarão ou quanto tempo sobreviverão depende apenas de como você vai usá-los.

Já existem vários estudos revelando maneiras de se proteger o cérebro contra o surgimento do Alzheimer e outras formas de comprometimento cognitivo ao longo da vida. Por coincidência, muitas delas também podem lhe ajudar a turbinar sua carreira profissional. Então, vamos ver a seguir uma seleção das principais dicas:

  • Nunca pare de aprender. As últimas pesquisas demonstram de maneira conclusiva que, quanto mais alto for o nível de educação de uma pessoa, menor a chance de sofrer declínio cognitivo, condição precursora do Alzheimer. Se você criar o hábito de aprender novas habilidades ao longo da sua carreira, não só ficará mais competitivo no mercado de trabalho, quanto fará um tremendo favor para seu cérebro.
  • Faça uma imersão em outa cultura. Especialmente, aprenda outro idioma. Com os negócios se tornando cada vez mais internacionais, além dos diversos eventos que o Brasil sediará nos próximos anos, é importante saber falar inglês e espanhol. Porém, se quiser maiores resultados para seu cérebro, escolha idiomas como o russo, mandarim ou árabe, cujos alfabetos os tornam muito mais desafiadores. Se possível, encare trabalhos no exterior. Além de diferenciar seu currículo dos demais, a exploração e adaptação em novos lugares o forçam a ficar mais atento ao ambiente, o que é um ótimo exercício cerebral.
  • Busque tarefas desafiadoras. O objetivo é se expor a coisas novas e a níveis de dificuldade elevados, para que a tarefa nunca se torne fácil ou rotineira, ou seja, tem que sair da zona de conforto. A variedade é tão importante quanto o desafio. Estudos indicam que a especialização excessiva não é a melhor estratégia para a manutenção da saúde do cérebro no longo prazo.
  • Gerencie o estresse. O estresse excessivo, independente de ser induzido por fatores externos ou pelos próprios pensamentos, mata os neurônios e evita a formação de novos. Exercícios físicos, meditação e até uma boa risada ajudam a proteger o cérebro da devastação causada pela pressão excessiva. Tirar umas férias de verdade de vez em quando também é uma arma comprovada contra o estresse.
  • Tenha muitos amigos. Uma rede vasta e diversificada de amigos é uma vantagem enorme quando se quer mudar de emprego ou contratar a pessoa certa, mas acontece que também faz bem para o cérebro. Pesquisas indicam que interagir regularmente com uma diversidade de pessoas em conversas estimulantes contribui para o aumento do desempenho cerebral e das reservas cognitivas.
  • Pratique exercícios para o cérebro. Diversos estudos sugerem que o treinamento cognitivo pode não apenas melhorar seu desempenho profissional, como também a atitude perante o trabalho e a avaliação positiva dos seus superiores. Escolha um programa desenvolvido para treinar suas habilidades cerebrais que ofereça variedade e desafio crescente, como o Cérebro Melhor, e você também terá uma ótima ferramenta para proteger seu cérebro contra o declínio cognitivo e Alzheimer.

Fonte:

Fernandez, Goldberg e Michelon, The SharpBrains Guide to Brain Fitness,SharpBrains Incorporated, 2a edição,  Abril 2013.

Wagner e outros, Does a cognitive-training programme improve the performance of middle-aged employees undergoing in-patient psychosomatic treatment?, Disability and Rehabilitation, Volume 30, Number 23, 2008, pp. 1786-1793(8).

Postado por Cérebro Melhor às 09:16:41 em Científico (86) | Comentários (0)

QUINTA-FEIRA, 25 DE JULHO DE 2013

Treinamento cerebral pode prevenir o declínio cognitivo

Treinamento cerebral pode prevenir o declínio cognitivo em adultos saudáveisCom o crescimento da população de idosos, a prevenção do declínio cognitivo se torna cada vez mais importante entre os idosos saudáveis. Essa perda de desempenho nas habilidades cerebrais ocorre naturalmente com o aumento da idade, porém se ela for maior do que o normal para certa idade, pode indicar uma condição de comprometimento cognitivo leve que, consequentemente, pode se transformar em demência.

Uma pesquisa canadense recente investigou vários produtos que afirmam prevenir o declínio cognitivo, desde programas de treinamentos físicos e mentais, até medicamentos com e sem receita. O único produto que apresentou evidências de prevenir o declínio cognitivo em idosos saudáveis foi o treinamento cognitivo formal com exercícios para o cérebro.

Essa pesquisa envolveu a revisão de 32 estudos clínicos envolvendo cerca de 25.000 pacientes saudáveis, ou seja, que não apresentavam quadro de comprometimento cognitivo leve. O objetivo dos pesquisadores era de ajudar os médicos e os idosos a tomarem decisões fundamentadas, com base nas evidências mais recentes, sobre quais as terapias preventivas disponíveis quando tiverem que lidar com uma situação de capacidade mental deteriorada.

Os tratamentos analisados nesses estudos incluíam:

  • Tratamento hormonal
  • Suplementos a base de ervas
  • Vitaminas e ácidos graxos
  • Vários remédios com receita médica
  • Exercícios físicos
  • Treinamento cognitivo

Não foram encontradas evidências consistentes para tratamentos farmacológicos como os com gingko, DHEA, vitaminas e outras substâncias. Em alguns casos, havia evidências de que certos tratamentos farmacológicos, como os com estrógeno e com anti-inflamatórios, prejudicavam o paciente, aumentando o declínio cognitivo e a demência.

As evidências para a atividade física como forma de prevenção cognitiva são muito fracas. Estudos que envolviam treinamento de resistência físicaou de equilíbrio como tratamento não tiveram efeitos negativos e alguns até mostraram alguma melhora, mas não o suficiente para substanciar qualquer afirmação.

Os exercícios mentais ou treinamento cognitivo, entretanto, demonstraram benefícios nos três estudos incluídos na pesquisa. Isso envolvia tanto programas de treinamento computadorizados como treinamento cognitivo pessoal (um-a-um) em memória, raciocínio e velocidade de processamento. Num dos estudos, os participantes tiveram uma melhora significativa de memória, mesmo após 5 anos do tratamento. Outro estudo mostrou uma melhora na memória auditiva e atenção num grupo de idosos que participaram de um programa de treinamento cognitivo computadorizado.

Essa pesquisa demonstra mais uma vez a importância de fazermos dos exercícios para o cérebro parte da nossa rotina, pois é a melhor forma de prevenirmos problemas mentais futuros. E o Cérebro Melhor pode ajudar com seu programa de treinamento cognitivo que utiliza jogos desenvolvidos cientificamente para tornar seus exercícios divertidos, além de contar com o auxílio de um instrutor virtual que garante a variedade do seu treino e o desafio na medida certa. Experimente!
Fonte:

Naqvi, Liberman, Rosenberg, Alston e Straus, Preventing cognitive decline in healthy older adults, Canadian Medical Association Journal, Julho 9, 2013 185:881-885.

Postado por Cérebro Melhor às 09:35:17 em Científico (86) | Comentários (0)

TERÇA-FEIRA, 2 DE JULHO DE 2013

Estamos cheios de novidades para você

Estamos cheios de novidades para você!Após meses ouvindo as sugestões do nosso público e buscando soluções que facilitassem o uso das nossas ferramentas, temos o prazer de anunciar que o nosso site foi totalmente renovado!

Trata-se da mudança mais abrangente já feita pelo Cérebro Melhor. Você notará que todas as páginas sofreram melhorias e que estão muito mais fáceis para navegar, inclusive de dispositivos móveis. Destacamos a seguir as principais mudanças no site para você entender o que mudou e já comece a navegar com maior facilidade.

Principais destaques:

•    Layout mais limpo e com fontes maiores para facilitar a visualização.

•    Nova seção “Destaques na Mídia” com reportagens sobre o Cérebro Melhor.

•    Nova seção “Para o seu Dispositivo Móvel” com aplicativos para iPhone e iPad.

•    Caixa com perguntas frequentes referentes à página aberta.

•    Opção de “Continuar conectado” para fazer o login automaticamente.

•    Novo sistema de pagamento para facilitar a assinatura.

•    Página inicial do assinante totalmente reformulada.

•    Integração com as redes sociais Facebook e Twitter.

•    Acesso facilitado ao Suporte.

•    Principais links do site organizados no rodapé.

•    E muito mais que você descobrirá ao navegar pelo site…

Esperamos que você tenha uma ótima experiência com nosso novo site e, caso tenha alguma dúvida ou sugestão, estamos à disposição para lhe auxiliar.

Divirta-se com as novidades e exercite muito mais o seu cérebro!

Postado por Cérebro Melhor às 11:12:38 em Cérebro Melhor (13) |Comentários (0)

TERÇA-FEIRA, 11 DE JUNHO DE 2013

E viveram felizes para sempre…

Com o Dia dos Namorados chegando, alguns casais apaixonados às vezes são pegos pelo seguinte pensamento: “Será que o amor vai durar?”. Para responder essa pergunta, uma pesquisa recente sugere que uma das melhores maneiras de se prever uma paixão duradoura pode ser através de um exame cerebral.E para aqueles casais que já estão juntos há tempos, o que devem fazer para manter a chama acesa? Muitos especialistas sugerem que eles…

Leia Mais “E viveram felizes para sempre…”

Postado por Cérebro Melhor às 11:16:27 em Científico (86) | Comentários (0)

SEGUNDA-FEIRA, 27 DE MAIO DE 2013

É possível controlarmos o esquecimento das memórias?

É possível controlarmos o esquecimento das memórias?Se tivesse uma maneira de esquecer aquele vexame que ocorreu naquela última festa… Na verdade, não existe apenas uma, mas duas maneiras que o cérebro nos oferece para voluntariamente esquecer memórias indesejáveis.

É amplamente aceito que as memórias são formadas pelo fortalecimento das conexões entre as células nervosas, e depois consolidadas pela reativação dos circuitos neurais que as codificaram. Uma vez armazenadas, acreditava-se que as memórias eram relativamente estáveis com o tempo. Há dez anos, entretanto, pesquisadores descobriram outro processo da memória, chamado reconsolidação. Quando uma memória é reativada (chamada para o pensamento consciente), ela é eventualmente reforçada, mas imediatamente após ser chamada, ela é brevemente instável, oferecendo uma janela para ser manipulada.

Estudos recentes descobriram que as duas maneiras possíveis de se esquecer memórias indesejáveis é de suprimi-las, desligando o sistema de consolidação, ou então de facilitar para que o sistema de consolidação seja ocupado por memórias substitutas, mais agradáveis.

A supressão de memórias pode ser exemplificada com um estudo feito em camundongos, os quais foram treinados para temer um som específico ao associá-lo com choques elétricos leves. Após o treinamento, eles exibiam comportamentos de medo sempre que o som era tocado, mesmo sem os choques. Mas se os camundongos recebiam um remédio inibidor de síntese protéica logo antes de ouvirem o som novamente, o processo de reconsolidação era bloqueado e o animal não temia mais o som. Por outro lado, também é possível melhorar a reconsolidação para fortalecer a memória, fazendo os camundongos agirem com mais medo ao som.

A nossa memória é como aquela brincadeira do telefone sem fio, onde cada pessoa sussurra a mensagem para a próxima da fila. Quando chega à última pessoa, a mensagem foi alterada radicalmente, sofrendo alterações a cada sussurro. Assim como nessa brincadeira, nossa memória distorce uma lembrança cada vez que ela é relembrada. Toda vez que lembramos de um evento do passado, nosso circuitos cerebrais sofrem alterações que podem afetar a maneira que essa lembrança é armazenada, ou reconsolidada. Assim, da próxima vez que nos lembrarmos desse mesmo evento, pode ser que vamos lembrar não do evento original, mas daquilo que foi consolidado na última vez.

Essas descobertas trazem diversas implicações da ordem de saúde e até criminal, como no caso de uma testemunha de um julgamento. Pode ser que o seu testemunho seja bem preciso da primeira vez que ela o diz, porque suas memórias não estão tão distorcidas, mas depois disso só tende a piorar.

A manipulação da memória pode ser usada no tratamento de pessoas sofrendo de distúrbio do estresse pós-traumático, sobreviventes de guerras, ou vítimas de estupro, o que pode ser uma coisa boa. Porém, as possíveis consequências de se reprimir deliberadamente as memórias ainda não estão claramente estudadas. Na psiquiatria, já é sabido que sentimentos esquecidos ou reprimidos geralmente se manifestam na forma de reações psicológicas.

A memória é também parte integral da nossa identidade. É um diário mental dos eventos que experimentamos e que nos oferece continuidade como indivíduos ao longo da vida. Guardamos algumas memórias felizes, outras nem tanto, e ainda aquelas tristes ou até traumáticas. Coletivamente, porém, o conteúdo do nosso diário mental nos faz quem somos, e ao manipulá-lo nós corremos o risco de perder uma parte da nossa história.

A comunidade científica ainda discute as implicações éticas de se manipular a memória, porém se o seu objetivo é fortalecer sua memória para melhorar sua capacidade de lembrar pessoas, nomes, eventos e tudo mais, saiba que não há dúvidas, basta exercitar sua memória. Para isso, o Cérebro Melhor desenvolveu uma série de jogos cientificamente comprovados que podem lhe auxiliar. Experimente!

Fontes:

Roland G. Benoit, Michael C. Anderson. Opposing Mechanisms Support the Voluntary Forgetting of Unwanted Memories. Neuron, 2012; 76 (2): 450

Donna J. Bridge, Ken A. Paller. Neural Correlates of Reactivation and Retrieval-Induced Distortion. The Journal of Neuroscience, 29 August 2012, 32(35): 12144-12151

Postado por Cérebro Melhor às 10:26:03 em Científico (86) | Comentários (0)

QUINTA-FEIRA, 9 DE MAIO DE 2013

Como ser mãe é bom para o cérebro

O Dia das Mães nos faz lembrar daquelas pessoas especiais que dedicaram boa parte da sua vida para nos criar. Mas, todo esse tempo investido nos bebês não é em vão, pois estudos científicos indicam que o crescimento do cérebro dos bebês está diretamente associado à quantidade de tempo e energia que as mães dedicam aos seus filhos. E não são somente os bebês que se beneficiam…A maternidade traz muitas…

Leia Mais “Como ser mãe é bom para o cérebro”

Postado por Cérebro Melhor às 11:52:46 em Científico (86) | Comentários (0)

QUINTA-FEIRA, 25 DE ABRIL DE 2013

Treinando o lado emocional do cérebro

O controle emocional, a habilidade de se regular as emoções ou de direcioná-las para atingir um objetivo, é o ponto fraco de muita gente, especialmente aqueles que sofrem com transtornos de ansiedade, alimentação ou personalidade. Pode-se levar anos de terapia para se fortalecer o controle emocional. Ou então, de acordo com um novo estudo, é possível atingir esse mesmo objetivo com poucas semanas de treinamento cerebral focado no fortalecimento…

Leia Mais “Treinando o lado emocional do cérebro”

Postado por Cérebro Melhor às 09:45:36 em Científico (86) | Comentários (0)

TERÇA-FEIRA, 26 DE MARÇO DE 2013

O chocolate pode ser bom para o cérebro

Na Páscoa, não há como fugir da tentação do chocolate. Tudo gira em torno dessa iguaria feita de cacau, seja na forma de ovos, de barras, de coelhos e todas as suas variações. Porém, não precisamos nos sentir tão culpados assim se cairmos na tentação, pois o chocolate também pode trazer benefícios para o cérebro.A melhoria do humor, redução da dor e da depressão são…

Leia Mais “O chocolate pode ser bom para o cérebro”

Postado por Cérebro Melhor às 09:32:40 em Científico (86) | Comentários (0)

TERÇA-FEIRA, 5 DE MARÇO DE 2013

Os piores barulhos do mundo

Quem nunca ouviu o barulho de unhas raspando na lousa ou de uma faca raspando numa garrafa e sentiu arrepios, chegando até a contorcer o corpo de tão desagradável que era o barulho? Essa é uma reação muito natural e cientistas até pensam ser algum sistema de alerta primitivo em nosso cérebro que herdamos de nossos ancestrais.Mas por que isso acontece? Numa série de pesquisas recentes, cientistas estudaram quais as características…

Leia Mais “Os piores barulhos do mundo”

Postado por Cérebro Melhor às 09:38:48 em Científico (86) | Comentários (0)

SEGUNDA-FEIRA, 28 DE JANEIRO DE 2013

Como o cérebro toma decisões

Todos os dias somos bombardeados com milhares de escolhas para fazer, desde as mais corriqueiras como o que comer no almoço, às mais importantes como em que investir as economias. Cientistas há muito tempo buscam entender como as pessoas tomam decisões e essa busca passa invariavelmente por entender como esse processo ocorre dentro do cérebro. Isso não é uma tarefa simples e, para descobrir como funciona o processo de decisão dentro do cérebro,…

Leia Mais “Como o cérebro toma decisões”

Postado por Cérebro Melhor às 09:39:41 em Científico (86) | Comentários (0)

QUINTA-FEIRA, 3 DE JANEIRO DE 2013

Planeje 2013 e recorde os principais artigos do ano passado

Mais um ano começa e, passadas as festas, aproveitamos para planejar o novo ano. Fazer academia, emagrecer e viajar são resoluções comuns, mas não podemos nos esquecer de cuidarmos do principal órgão do nosso corpo: o cérebro. Para lhe auxiliar nessa tarefa, recomendamos que leia nossas Resoluções de Ano Novo para um Cérebro Melhor e comece o ano colocando-as em prática.Como o ato de recordar faz bem para nossa…

Leia Mais “Planeje 2013 e recorde os principais artigos do ano passado”

Postado por Cérebro Melhor às 16:24:56 em Científico (86) | Comentários (0)

QUARTA-FEIRA, 19 DE DEZEMBRO DE 2012

Os benefícios de se falar mais de uma língua

Hoje em dia, falar mais de uma língua é cada vez mais comum entre a população e dados indicam que 66% das crianças no mundo são criadas bilíngues. No Brasil, a motivação geralmente está relacionada à obtenção de um emprego melhor ou à tão sonhada viagem, porém aprender um novo idioma também pode trazer vários benefícios para a saúde do seu cérebro.Quase…

Leia Mais “Os benefícios de se falar mais de uma língua”

Postado por Cérebro Melhor às 10:35:10 em Científico (86) | Comentários (0)

SEGUNDA-FEIRA, 26 DE NOVEMBRO DE 2012

Verdade ou mentira: os mitos da neurociência na educação

Você saberia responder se utilizamos apenas 10% do nosso cérebro? Ou se a capacidade mental é hereditária e não pode ser modificada pelo ambiente ou experiência? Ou ainda se nosso cérebro desliga quando estamos dormindo? Esses são alguns mitos da neurociência que ainda estão difundidos, mas gostaríamos de pensar que nossos educadores sabem distinguir entre as verdades e mentiras da neurociência.As descobertas da neurociência…

Leia Mais “Verdade ou mentira: os mitos da neurociência na educação”

Postado por Cérebro Melhor às 09:43:54 em Científico (86) | Comentários (0)

QUARTA-FEIRA, 31 DE OUTUBRO DE 2012

A comida e o desenvolvimento do cérebro humano

Os humanos possuem mais neurônios no cérebro do que qualquer outro primata. São aproximadamente 86 bilhões, em média, comparados com 33 bilhões nos gorilas e 28 bilhões nos chimpanzés. Enquanto esses neurônios a mais nos trazem muito benefícios, eles têm um custo – nosso cérebro consome 20% da energia do corpo em descanso, comparado com 9% nos outros primatas. Isso gera um grande enigma… Como os nossos ancestrais…

Leia Mais “A comida e o desenvolvimento do cérebro humano”

Postado por Cérebro Melhor às 09:34:09 em Científico (86) | Comentários (0)

QUINTA-FEIRA, 11 DE OUTUBRO DE 2012

Brincar é importante para o cérebro

Brincar não é só coisa de humanos. Na natureza, a brincadeira é comum entre os mais variados animais, sejam mamíferos, aves, répteis, até alguns animais invertebrados, como o polvo e a abelha. O fato de a brincadeira ser tão difundida sugere que ela surgiu há muito tempo na história da evolução.Apesar de associarmos o ato de brincar à simples diversão, se a natureza manteve essa característica…

Leia Mais “Brincar é importante para o cérebro”

Postado por Cérebro Melhor às 09:50:34 em Científico (86) | Comentários (0)

QUINTA-FEIRA, 20 DE SETEMBRO DE 2012

Alzheimer afeta duas vezes mais mulheres que homens

A doença de Alzheimer é um dos principais problemas de saúde pública do século XXI. Estima-se que cerca de 35 milhões de pessoas em todo o mundo, sendo 1,2 milhões no Brasil, já vivem com a doença. Como ainda não há cura, o número que pode chegar a 115 milhões até 2050, porém já há estudos indicando que mais da metade dos casos de Alzheimer podem ser prevenidos.É por isso…

Leia Mais “Alzheimer afeta duas vezes mais mulheres que homens”

Postado por Cérebro Melhor às 10:11:55 em Científico (86) | Comentários (0)

SEGUNDA-FEIRA, 10 DE SETEMBRO DE 2012

Mude sua personalidade e viva mais

Viver até os 100 anos de idade ainda é um acontecimento raro, mas está se tornando cada vez mais comum no mundo todo. No Brasil, esse grupo já representa mais de 23.000 pessoas, segundo o Censo de 2010. Mas como essas pessoas conseguem viver tanto? Pesquisas sugerem que boa parte da resposta está nos genes dessas pessoas, porém descobriu-se recentemente que a personalidade também é um fator importante da longevidade.Se a personalidade é…

Leia Mais “Mude sua personalidade e viva mais”

Postado por Cérebro Melhor às 09:28:20 em Científico (86) | Comentários (0)

SEGUNDA-FEIRA, 20 DE AGOSTO DE 2012

A falta de sono e seus efeitos sobre o cérebro

As noites em claro ou mal dormidas afetam diretamente o bem-estar de uma pessoa e, se isso se tornar uma rotina, pode afetar seriamente a saúde do cérebro. A falta de sono é um estresse forte para o cérebro e causa uma série de problemas, inclusive de memória, pois é durante o sono que o cérebro consolida as novas informações adquiridas no dia e as armazena como memória.Estudos recentes descobriram que, além de…

Leia Mais “A falta de sono e seus efeitos sobre o cérebro”

Postado por Cérebro Melhor às 09:46:09 em Científico (86) | Comentários (0)

MENU

BUSCA

CATEGORIAS

ARQUIVOS

NOTÍCIAS RECENTES

META

  • Assinar este site (RSS XML 2.0)

 

 

Cérebro Melhor | Seu corpo precisa de exercícios. Seu cérebro também.

Newsletter

Cérebro Melhor

Nº 13 | 2013

Assine já! | Conheça nossos pacotes de assinatura e assine já o programa

Novidade

Grandes descobertas da neurociência

Novidade | Grandes descobertas da neurociência

Foto: Reprodução internet

O cérebro humano é um órgão extremamente complexo e, apesar de ser um objeto de estudos desde o Egito antigo, cientistas afirmam que na última década foi descoberto mais coisas sobre o cérebro do que em todas as décadas anteriores. Mesmo com esse grande avanço na ciência, ainda há muitos mistérios sobre o cérebro a serem desvendados, o que com certeza manterá os neurocientistas ocupados por muitas outras décadas.

Para entender essa evolução da neurociência, destacamos algumas das grandes descobertas dos últimos tempos. Por exemplo, você sabia que os neurônios só foram descobertos por volta de 1890? Que a doença de Alzheimer foi primeiro descrita em 1906? E que a região do cérebro responsável pela fala foi identificada por volta de 1860, porém a responsável pela memória só quase um século depois?

Leia o artigo completo no site do Cérebro Melhor

Desafio

Costurando

Desafio

Você deve encontrar a palavra que está oculta nesta confusão de letras. A única regra é que as letras da palavra precisam estar em casas contíguas na horizontal, vertical ou diagonal. Além disso, você não poderá usar a mesma casa duas vezes.
Dicas:
– tem 8 letras
– pertence ao tópico “Legumes”
– letras na diagonal não são permitidas
Confira a resposta na newsletter da próxima semana.

Resposta

Resposta do desafio anterior:
CORRENTE

Jogo em Destaque

Pegue as joaninhas

Saiba mais

Categoria

Atenção

Jogo em Destaque | Pegue as joaninhas

 

Em algumas culturas, joaninhas são um sinal de boa sorte. Este exercício, entretanto, não depende de sorte. Clique o mais rápido possível sobre as joaninhas que surgem aleatoriamente na tela. O desafio é que quanto mais joaninhas você pega, menores elas se tornam e mais rapidamente desaparecem. Múltiplos níveis tornam este desafio ainda mais divertido, conforme outros insetos aparecem na tela para distraí-lo. Concentre-se em sua tarefa e resista às distrações.

Nossa capacidade de prestar atenção e processar todos os detalhes de um objeto é limitada a apenas uma coisa de cada vez. Isso quer dizer que recebemos permanentemente muitos mais estímulos do mundo que nos rodeia do que o cérebro consegue processar simultaneamente. Na prática, essa limitação não é ruim, pois a maioria dos estímulos não são importantes ou relevantes – são, ao contrário, meras distrações. Idealmente, deveríamos gastar mais tempo e recursos mentais processando o que é de fato importante, e menos tempo nos ocupando com as distrações. É exatamente isso o que conseguimos prestando atenção: selecionar o que é realmente importante, enquanto os distratores são ignorados. Esse jogo exige muita atenção e boas habilidades visuo-espaciais.

A atenção pode ser definida como o processo cognitivo de seleção de um aspecto do ambiente para processamento mental detalhado, enquanto todos os outros são ignorados. Você precisa de atenção para atravessar a rua, para se concentrar nas notícias da televisão enquanto as crianças brincam por perto, ou quando trabalha enquanto os colegas conversam ao redor. Sem a capacidade de focalizar sua atenção, você pularia constantemente de uma atividade para outra, seguindo simplesmente o que fosse maior, mais brilhante, colorido ou barulhento. Você pode não notar, mas escolher o que você faz a cada instante requer direcionar o foco da sua atenção, ignorando distrações. Como a atenção é uma habilidade que pode ser treinada, este exercício pode ajudar você a manter seu foco no que desejar.

_______________________________________________________________________

| ASSINE JÁ |

Conheça nossos pacotes de assinatura e escolha o mais adequado para você.

| SIGA-NOS |

TwitterFacebookRSS

| ENTRE EM CONTATO |

Se você tem dúvidas, sugestões ou recebeu esta mensagem com erro, por favor envie um email para contato@cerebromelhor.com.br ou responda diretamente este email.

© 2009 Cérebro Melhor - Todos os direitos reservados.

Como Ganhei R$ 9.723,18 em Seis Meses Com Site de Nicho

9/9/2013 por RAFAEL SEABRA | RENDA EXTRA73

Facebook 23Twitter 9Google+4

Como Ganhei R$ 9.723,18 em Seis Meses Com Site de NichoPromessa é dívida. Quando escrevi o artigo explicando como faturei US$ 669,42 em 30 Dias com um site recém-criado, prometi que revelaria qual site tinha obtido esse excelente resultado.

Se você não acompanhou essa história, recomendo fortemente que leia este artigo antes de continuar a leitura.

Passados 6 meses da criação do site, decidi que era o momento de revelá-lo, apresentando também os resultados obtidos até então.

O que é um site de nicho?

Site de nicho é um site ou blog com conteúdo produzido para um nicho de mercado bastante específico.

Um exemplo é justamente o primeiro site que criei, sobre como plantar. Você pode visitá-lo através deste endereço: www.comoplantar.net.

Site B revelado!

O segundo site, que até então chamava de “Site B”, visa explorar o nicho de mercado de franquias baratas. Para conhecê-lo, basta acessar:www.franquiasbaratas.blog.br.

Metodologia para escolha do nicho “Franquias Baratas”

Como já havia explicado no artigo anterior, decidi escolher um nicho com alta concorrência e com 40 mil pesquisas exatas para o termo franquias baratas.

Pesquisei também outros termos relacionados ao mesmo mercado, tais como as principais franquias pesquisadas, e escrevi conteúdo para cada uma delas.

Em pouco tempo, consegui alcançar a primeira página de resultados do Google, não apenas para o termo em foco, mas também para franquias, microfranquias,franquia Cacau Show, entre tantos outros.

Estatísticas de acesso – Franquias Baratas

Após exatos 6 meses (o site foi criado em 08/03/2013), o site recebeu 164.591 visitas e teve 482.027 páginas visualizadas.

Observe a figura abaixo, com o desempenho do site no período:

Estatísticas de Acesso - Franquias Baratas

Obviamente esse resultado não foi obtido apenas com otimizações para mecanismos de busca, mas também com bastante estudo para atrair audiência e produção de conteúdo de qualidade.

Relatório de Desempenho – Franquias Baratas

Como resultado dessa excelente audiência e também do posicionamento estratégico dos banners do Google AdSense, o faturamento no período foi excelente.

Observe a figura a seguir:

Relatório de Desempenho - Franquias Baratas

Em apenas seis meses, consegui faturar US$4.227,47, que equivale a R$ 9.723,18, na cotação de 06/09/2013, onde US$ 1 = R$ 2,30.

Por que decidi revelar um site tão bem sucedido?

A maioria das pessoas que trabalham nesse mercado não revela seus sites nem “sob tortura”. O segredo é a alma do negócio.

No entanto, criei esse site apenas para mostrar que é possível começar um “site do zero” e ganhar dinheiro com ele.

Como sempre faço questão de frisar, não é fácil nem (sempre) será rápido, mas ganhar quase R$ 10 mil em apenas seis meses não é nada mau :)

Além disso, me comprometi a revelar o site após seis meses. Se alguém decidir concorrer nesse mesmo nicho, fique à vontade.

Se o Google decidir colocar seu site na frente do meu, é porque ele entende que seu conteúdo é melhor. Melhor para o usuário que está pesquisando.

Conclusão – Recapitulando…

Neste artigo, revelei que o famoso “Site B” é www.franquiasbaratas.blog.br.

Expliquei também a metodologia utilizada para a escolha deste nicho de mercado, bem como a quantidade de visitas recebidas (mais de 160 mil) e receita gerada (quase R$ 10 mil) em apenas seis meses.

Por fim, mas não menos importante, recomendo também a leitura dos seguintes artigos, para aprender mais sobre sites de nicho:

E se você quiser levar realmente esse projeto de renda extra a sério, recomendo ocurso Segredos do AdSense [link afiliado], certamente o melhor conteúdo sobre o assunto e principal fonte de conhecimento para os resultados que obtive.

Se você conseguir colocar em prática todos os ensinamentos do curso, certamente o investimento para aquisição será irrelevante perto dos resultados que estarão por vir.

Até a próxima!

Imagem de freedigitalphotos.net.

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s